Gonzaga – de Pai pra Filho vence Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

Gonzaga – de Pai pra Filho vence Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

 

Com cinco conquistas, o filme Gonzaga – de Pai pra Filho foi o maior vencedor do 12º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, que ocorreu na noite desta quarta-feira (13) no Rio de Janeiro. A obra dirigida por Breno Silveira levou os troféus de melhor longa-metragem de ficção, melhor direção, melhor ator, melhor ator coadjuvante e melhor som.

A cinebiografia Heleno, de José Henrique Fonseca, também se destacou e recebeu quatro prêmios: melhor direção de fotografia, melhor direção de arte, melhor figurino e melhor maquiagem. Febre do Rato, de Cláudio Assis, e 2 Coelhos, de Afonso Poyart, vieram em seguida com três troféus cada.

O evento deste ano homenageou a atriz Ruth de Souza, o crítico Ismail Xavier e o falecido diretor, produtor e roteirista Roberto Santos.

Veja a seguir todos os vencedores do 12º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro.

 

Melhor longa-metragem de ficção

Gonzaga – de Pai pra Filho, de Breno Silveira

 

Melhor longa-metragem documentário

Raul – O Início, o Fim e o Meio, de Walter Carvalho

 

Melhor longa-metragem infantil

Peixonauta – Agente Secreto da O.S.T.R.A, de Célia Catunda e Kiko Mistrorigo

 

Melhor longa-metragem de animação

Brichos – A Floresta é Nossa, de Paulo Munhoz

 

Melhor direção

Breno Silveira, por Gonzaga – de Pai pra Filho

 

Melhor atriz

Dira Paes, por À Beira do Caminho

 

Melhor ator

Júlio Andrade, por Gonzaga – de Pai pra Filho

 

Melhor atriz coadjuvante (empate)

Ângela Leal, por Febre do Rato

Leandra Leal, por Boca

 

Melhor ator coadjuvante (empate)

Claudio Cavalcanti, por Astro, Uma Fábula Urbana em um Rio de Janeiro Mágico

João Miguel, por Gonzaga – de Pai pra Filho

 

Melhor direção de fotografia

Walter Carvalho, por Heleno

 

Melhor direção de arte (empate)

Cassio Amarante, por Xingu

Daniel Flaksman, por Corações Sujos

Marlise Storchi, por Heleno

 

Melhor figurino

Rita Murtinho, por Heleno

 

Melhor maquiagem

Martín Marcías Trujillo, por Heleno

 

Melhor efeito visual

Carlos Faia, Gus Martinez e Xico de Deus, por 2 Coelhos

 

Melhor roteiro original

Hilton Lacerda, por Febre do Rato

 

Melhor roteiro adaptado

David França Mendes, por Corações Sujos, adaptado da obra Corações Sujos, de Fernando Morais

 

Melhor montagem de ficção

Afonso Poyart, André Toledo e Lucas Gonzaga, por 2 Coelhos

 

Melhor montagem de documentário

Pablo Ribeiro, por Raul – O Início, o Fim e o Meio

 

Melhor som

Alessandro Laroca, Armando Torres Jr.; Eduardo Virmond Lima, Renato Calaça e Valéria Ferro, por Gonzaga – de Pai pra Filho

 

Melhor trilha sonora

Paulo Jobim, por A Música Segundo Tom Jobim

 

Melhor trilha sonora original

André Abujamra e Marcio Nigro, por 2 Coelhos

 

Melhor curta-metragem de ficção

Laura, de Thiago Valente

 

Melhor curta-metragem documentário

Elogio da Graça, de Joel Pizzini

 

Melhor curta-metragem de animação

Cabeça de Papelão, de Quiá Rodrigues

 

Melhor longa-metragem estrangeiro

Intocáveis (França), de Olivier Nakache e Eric Toledano

 

VOTO POPULAR – Melhor longa-metragem de ficção

Febre do Rato, de Cláudio Assis

 

VOTO POPULAR – Melhor longa-metragem documentário

Raul – O Início, o Fim e o Meio, de Walter Carvalho

 

VOTO POPULAR – Melhor longa-metragem estrangeiro

Intocáveis (França), de Olivier Nakache e Eric Toledano

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.

*