Mostra de São Paulo: Filmes metalinguísticos

Mostra de São Paulo: Filmes metalinguísticos

 

(clique nos títulos para ver as sessões dos filmes na Mostra)

 

A BRUTA FLOR DO QUERER

2013 │ 77 min. │ Ficção

País: Brasil

Direção: Andradina Azevedo e Dida Andrade

Sinopse: Diego, um recém-formado em cinema, se vê obrigado a trabalhar como cinegrafista de casamentos. Enquanto luta para realizar seu primeiro filme e ser visto como diretor, ele tenta sobreviver ao seu maior medo e objeto de desejo: as mulheres.

 

O PRÓXIMO FILME (LE PROCHAIN FILME)

2013 | 83 min. | Ficção

País: França

Direção: René Féret

Sinopse: Há 50 anos, Louis Gravet adoraria se tornar um ator. Seu irmão Peter, diretor de cinema, a ideia de lhe chamar para o papel principal de seu próximo filme. Circunstâncias familiares, suas esposas, seus filhos, sobrinha, irão impedi-los de realizar o projeto como planejam…

 

EL CRÍTICO (THE CRITIC)

2013 │ 90 min. │ Ficção

País: Argentina

Direção: Hernán Guerschuny

Sinopse: Téllez é um prestigiado crítico de cinema que odeia comédias românticas hollywoodianas e cinema moderno. Ele vê o mundo como um longo filme que não consegue deixar de criticar. Um dia, do nada, ele conhece Sofia, uma jovem e atraente mulher com quem não tem quase nada em comum, especialmente quando o assunto é cinema. Como o destino insiste em aproximar os dois, Téllez suspeita que o gênero que ele mais odeia está em busca de vingança.

 

CORTINAS FECHADAS (CLOSED CURTAIN)

2013 │ 106 min. │ Ficção

País: Irã

Direção: Jafar Panahi e Kambuzia Partovi

Sinopse: Os dois são fugitivos: um homem com seu cachorro que a lei islâmica proíbe por considerá-lo sujo e uma moça que participou de uma festa clandestina às margens do Mar Cáspio. Eles se escondem em uma casa de campo isolada, janelas cobertas por cortinas, e se observam com suspeita. Por que ele raspou a cabeça? Como ela sabe que ele está sendo perseguido pela polícia? Ambos são prisioneiros nessa casa fechada num lugar hostil. Vozes de policiais podem ser ouvidas à distância, mas também o som tranquilizante do mar. De repente, o diretor entra em cena e as cortinas se abrem. Instaura-se uma situação absurda: dois personagens de um roteiro, ambos à procura de seu diretor e observando-o.

 

KOHLHAAS – OU A PROPORCIONALIDADE DOS MEIOS (KOHLHAAS – OR THE PROPORTIONALITY OF MEANS)

2012 │ 90 min. │ Ficção

País: Alemanha

Direção: Aron Lehmann

Sinopse: No interior da Bavária, Michael Kohlhaas, o drama histórico de Kleist (1777 – 1811) começa a ser rodado. Mas ao invés de filmar um épico enorme com figurino ostensivo, homens adultos vestidos com macacões azuis ou ternos correm pela floresta lutando com armas imaginárias. O jovem diretor Lehman está lutando por seu ideal, por seu filme, apesar de todo o patrocínio ter sido cancelado após o primeiro dia de gravações. Entusiasmado, Lehmann apela para a imaginação de sua equipe. Ele está convencido de que o trabalho dos atores e a imaginação da audiência serão suficientes para tornar o filme autêntico. Mas depois de alguns dias de filmagem, o humor no set muda. Vozes negativas se levantam e tudo parece sair do controle. Pouco a pouco, o enredo ficcional de Kohlhaas toma conta da realidade. Lehmann vê suas esperanças se desfazerem. Mas ele sabe: o filme precisa terminar. A qualquer custo.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.

*