Paira sobre os dois longas-metragens de Thiago B. Mendonça a influência de Andrea Tonacci (1944-2016). Em uma cena de Jovens Infelizes ou Um Homem que Grita Não é Um Urso que Dança, vencedor da 19ª Mostra de Tiradentes, Tonacci aparece debatendo seu filme Já Visto Jamais Visto. Foi nesse dia em que o cineasta falecido no último mês de dezembro sugeriu a Thiago a realização de um filme de ficção para crianças. A ideia foi colocada em prática em Um Filme de Cinema, trabalho protagonizado pelas filhas do diretor, Bebel e Isadora. A obra foi exibida pela primeira vez em janeiro passado, dentro da Mostra Aurora, seção competitiva de longas-metragens da 20ª Mostra de Tiradentes.

A quem assistiu ao longa anterior do diretor, que retrata um grupo de artistas libertários em confronto direto com um sistema opressivo, o novo trabalho pode parecer, à primeira vista, rigorosamente oposto. Tal visão é rechaçada por Thiago.

“Eu não acho que Um Filme de Cinema seja um filme menos político do que o Jovens Infelizes. Ele é político em outro lugar, mas eu acho que ele vem de uma mesma intenção de pensar o nosso lugar no mundo e questionar um pouco a forma como a gente está se colocando nessa vida cada vez mais fascista, condicionada. Os dois filmes mostram personagens tentando sair de condicionamentos”, opina.

Em entrevista concedida ao Cine Festivais no dia seguinte à exibição de Um Filme de Cinema na 20ª Mostra de Tiradentes, Thiago B. Mendonça falou sobre temas que circundam seu novo trabalho. Veja a entrevista completa no vídeo a seguir.

 

 

Veja também:

>>> Thiago B. Mendonça fala sobre Jovens Infelizes

 

*O repórter viajou a convite da organização do festival