A 41ª Mostra de São Paulo vai exibir quase 400 filmes filmes entre os dias 19 de outubro e 1º de novembro de 2017. Para facilitar a escolha do leitor/cinéfilo, o Cine Festivais realizou pelo quinto ano consecutivo um guia para o evento, no qual agrupou filmes que se relacionam tematicamente de diferentes maneiras. Veja a seguir os trabalhos que fazem parte de cada grupo e programe-se!

(Clicando no tema de seu interesse dentro do Guia da 41ª Mostra de São Paulo, o leitor será direcionado para os filmes desse grupo. Para regressar ao topo, basta clicar no botão “voltar” em seu navegador. Para conhecer os horários de exibição dos filmes, clique no nome das obras).

 

- Filmes premiados em festivais brasileiros

- Filmes premiados em festivais internacionais

- Filmes de cineastas consagrado(a)s

- Atores premiados em festivais

- Documentários que abordam períodos ditatoriais na América do Sul

- Documentários que refletem sobre política no Brasil atual

- Ficções que abordam o universo da política

- Documentários sobre artistas brasileiros

- Documentários sobre artistas estrangeiro(a)s

- Ficções que abordam o universo musical

- Filmes sobre relações paternas

- Filmes sobre amadurecimento de jovens

- Filmes sobre relacionamentos contemporâneos

- Filmes que tematizam a questão dos refugiados/imigrantes

- Documentários sobre questões do Oriente Médio

- Ficções ambientadas na Segunda Guerra Mundial

- Filmes com investigações sobre assassinatos

- Filmes de ficção científica

- Filmes que retratam pessoas/personagens com deficiência

- Filmes de animação

- Road Movies

- Documentários que tematizam a arquitetura

- Filmes sobre religiosidade/espiritualidade

- Filmes que levantam questões ambientais

- Filmes que retratam a velhice

- Filmes que levantam conflitos morais

- Ficções com personagens principais ex-presidiários

- Ficções que abordam o universo esportivo

.

Filmes premiados em festivais brasileiros

- Arábia, de Affonso Uchôa e João Dumans

André é um jovem morador da Vila Operária, bairro vizinho a uma velha fábrica de alumínio, em Ouro Preto, Minas Gerais. Um dia, ele encontra o misterioso caderno de um dos operários dessa firma.

Vencedor do prêmio de Melhor Filme (Júri Oficial e Júri da Crítica) no Festival de Brasília

 

- As Boas Maneiras, de Juliana Rojas e Marco Dutra

Clara, uma solitária enfermeira que vive na periferia de São Paulo, é contratada pela rica e misteriosa Ana para ser babá de sua criança que está para nascer. De maneira inesperada, as duas mulheres desenvolvem um forte vínculo. Porém, uma fatídica noite mudará os seus planos.

Vencedor do prêmio de Melhor Filme (Júri Oficial e Júri da Crítica) no Festival do Rio              

 

- Café com Canela, de Ary Rosa e Glenda Nicácio

Recôncavo da Bahia. Margarida vive em São Félix isolada pela dor da perda do filho. Violeta segue a vida em Cachoeira, entre adversidades do dia a dia e traumas do passado. Quando elas se reencontram, inicia-se um processo de transformação, marcado por visitas, faxinas e cafés com canela, capazes de despertar novos amigos e antigos amores.

Vencedor do prêmio de Melhor Filme (Júri Popular) no Festival de Brasília

 

- Praça Paris, de Lúcia Murat

Gloria é ascensorista na Universidade do Estado do Rio de Janeiro. É filha de um pai abusivo e irmã de Jonas, chefe do tráfico. Camila é uma jovem psicanalista portuguesa que está no Brasil para estudos sobre violência na mesma faculdade, onde começa a atender Gloria. Camila é estrangeira e deslocada em meio ao caos de uma cidade desigual, hostil e em constante transformação. Um vínculo inicialmente improvável se estabelece entre as duas e, em um contundente caso de contratransferência entre analista e analisado, essa relação extravasa as barreiras do consultório.

Vencedor do prêmio de Melhor Direção de Ficção no Festival do Rio

 

- Slam: Voz de Levante, de Tatiana Lohmann e Roberta Estrela D’Alva

Plateia, poetas, poemas próprios e jogo de cintura: essa é a fórmula dos Poetry Slams, campeonatos performáticos de poesia falada que vêm se espalhando pelo Brasil. O filme testemunha o crescimento da cena brasileira desde 2008, viaja às origens da competição nos EUA e acompanha a campeã nacional de 2016, Luz Ribeiro, até a Copa do Mundo de Slam em Paris, representando uma nova onda feminista e negra que tem se firmado pela virulência poética do verbo politizado.

Vencedor do prêmio de Melhor Direção de Documentário no Festival do Rio

 

- Música Para Quando As Luzes se Apagam, de Ismael Cannepele

Documentário que flutua na fina borda entre ficção e realidade. Uma autora chega a uma pequena vila no sul do Brasil com a intenção de transformar a vida de Emelyn em uma narrativa ficcional. Quanto mais ela provoca Emelyn com suas câmeras, mais Emelyn se torna Bernardo, um adolescente dividido entre viver o seu desejo e continuar desejando.

Vencedor do Prêmio Especial do Júri no Festival de Brasília

 

- Bio, de Carlos Gerbase

A história de um homem que nasceu em 1959 e morreu em 2070, contada por aqueles que o conheceram e influenciaram a sua trajetória. Por meio de 39 depoimentos de pessoas diferentes, acompanhados de breves cenas que ilustram suas experiências mais marcantes, temos acesso à sua vida íntima e profissional, de modo a conhecê-lo profundamente em seus aspectos familiares, culturais e biológicos.

Vencedor do prêmio de Melhor Filme (Júri Popular) e do Prêmio Especial do Júri Oficial no Festival de Gramado

.

Filmes premiados em festivais internacionais

- The Square, de Ruben Ostlund

Christian é o respeitado curador de um museu de arte contemporânea. Sua próxima exposição é The Square, uma instalação que convida os transeuntes ao altruísmo. Mas às vezes é difícil viver de acordo com seus próprios ideais: a resposta tola de Christian pelo roubo de seu celular o leva a situações vergonhosas. Enquanto isso, uma agência de relações públicas cria uma inesperada campanha para promover The Square. A reação é exagerada e conduz Christian, assim como o museu, a uma crise existencial.

Vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes

 

- 9 Dedos, de F. J. Ossang

No meio da noite, Magloire fuma um cigarro em uma estação de trem abandonada. Quando a polícia surge para verificar seu documento de identidade, ele começa a correr, sem nenhuma bagagem e nenhum futuro. Até que encontra um homem agonizante, de quem herda uma fortuna. Agora, Magloire é perseguido por uma gangue. Ele se torna refém da quadrilha, mas também seu cúmplice. Como alguém que não tem nada a perder. Como alguém que foge com tudo, alguém sem esperanças.

Vencedor do Prêmio de Melhor Direção no Festival de Locarno

 

- Caniba, de Verena Paravel e Lucien Castaing-Taylor

Em 13 de junho de 1981, Issei Sagawa, estudante da Paris-Sorbonne, foi preso depois de serem encontradas duas malas contendo os restos do cadáver de uma colega de classe, a holandesa Renée Hartevelt. Dois dias antes, ele atirou em sua cabeça, estuprou-a e comeu pedaços de seu corpo. Declarado louco, voltou para o Japão e vive livre desde então. Relegado ao ostracismo, fez desse crime o seu sustento, escrevendo livros, desenhando mangás e aparecendo em inúmeros documentários e filmes sensacionalistas sobre sexo nos quais ele reproduz o ocorrido. Gravado na pequena casa em que Issei mora, nos arredores de Tóquio, o documentário descreve a vida que ele leva, além de conter longas entrevistas com Jun-san, seu irmão e principal cuidador.

Vencedor do Prêmio Especial do Júri da seção Horizontes do Festival Veneza               

 

- Custódia, de Xavier Legrand

Depois do divórcio, Myriam e Antoine dividem a guarda do filho. Refém de um pai ciumento e violento, e escudo para uma mãe perseguida, Julien é levado até o seu limite para prevenir que o pior aconteça.

Vencedor do Prêmio de Melhor Direção e Melhor Primeiro Filme no Festival de Veneza

 

- Doce País, de Warwick Thornton

Sam, um aborígene de meia-idade, trabalha para um pastor no interior do Território do Norte da Austrália. Um veterano de guerra se muda para um posto militar nos arredores e Sam e sua família são enviados para ajudá-lo em uma reforma. O relacionamento entre eles rapidamente se deteriora, e, para se defender, Sam acaba matando o homem. Ele, então, passa a ser procurado pelo assassinato e é forçado a fugir com sua mulher deserto do país.

Vencedor do Prêmio Especial do Júri no Festival de Veneza

 

- Felicité, de Alain Gomis

Félicité é uma mulher orgulhosa e independente que trabalha como cantora em um bar de Kinshasa, capital da República Democrática do Congo. Sempre que ela sobe ao palco, parece deixar todas as preocupações de lado. Mas um dia, seu filho sofre um terrível acidente. Enquanto ele está no hospital, ela tenta desesperadamente conseguir dinheiro para sua operação, e começa uma jornada pelas ruas pobres e pelos bairros ricos da cidade. Um dos clientes do bar, um homem chamado Tabu, se oferece para ajudá-la. Relutante, Félicité aceita.

Vencedor do Grande Prêmio do Júri no Festival de Berlim

 

- Gabriel e a Montanha, de Fellipe Barbosa

Antes de entrar para uma universidade americana de prestígio, Gabriel Buchmann, carregado de sonhos, decide viajar o mundo por um ano. Depois de dez meses na estrada, ele chega ao Quênia determinado a descobrir o continente africano. Até alcançar o topo do monte Mulanje, seu último destino.

Vencedor do Prêmio Revelação da Semana da Crítica em Cannes

 

- Makala, de Emmanuel Gras

Um jovem de uma vila no Congo sonha em dar uma vida melhor para a família. Os únicos recursos para isso são suas próprias mãos, a vegetação próxima a ele e sua obstinação. Quando parte em uma jornada extenuante e perigosa para vender o resultado de seu trabalho, ele descobre o verdadeiro valor de seus esforços e o preço de seus sonhos.

Vencedor da Semana da Crítica em Cannes

 

- O Outro Lado da Esperança, de Aki Kaurismaki

Khaled chega ao porto de Helsinque escondido em um contêiner de carvão, depois de fugir da guerra na Síria em busca de asilo na Finlândia. Frustrado com a administração monolítica que encontra no centro de detenção, ele logo foge para as ruas. Lá, encontra Wikström, um ex-vendedor de camisas que se separou da mulher alcóolatra para começar uma nova vida como dono de um restaurante. Juntos, eles ajudam um ao outro a enfrentar as dificuldades que surgem nesse desconhecido e desconcertante novo mundo.

Vencedor do Urso de Prata de melhor diretor no Festival de Berlim   

 

- Scary Mother, de Ana Urushadze

Manana, uma dona de casa de 50 anos, se vê diante de um dilema. Ela precisa escolher entre a vida em família ou o seu amor pela escrita, atividade que reprime há anos. Manana decide seguir sua paixão, mergulhando em um sacrifício físico e mental.

Vencedor do Prêmio de Melhor Primeiro Longa-Metragem no Festival de Locarno

 

- Três Anúncios para um Crime, de Martin McDonagh

Mildred Hayes é uma mulher do interior de luto pela morte da filha. Após meses sem que o assassinato da garota seja solucionado pela polícia, ela decide se vingar por conta própria.

Vencedor do prêmio Osella de Ouro de melhor roteiro no Festival de Veneza              

 

- Três Quartos, de Ilian Metev

Mila, uma jovem pianista, tenta se preparar para uma audição no exterior, mas seu irmão, Nikki, a distrai com seu talento irritante para o absurdo. Todor, seu pai, um astrofísico, parece ser incapaz de lidar com a ansiedade dos filhos. O retrato de uma família em seu último verão juntos.

Vencedor da seção Cineastas do Presente do Festival de Locarno

 

- Uma Espécie de Família, de Diego Lerman

Malena recebe uma ligação que mudará sua vida: o bebê que adotou está prestes a nascer. Ela viaja para buscá-lo e logo se vê chantageada pelos pais biológicos do recém-nascido. Ou aumenta o valor do pagamento acordado ou a criança será enviada para um orfanato. Malena passa a ser atormentada por dilemas morais e legais que a fazem se questionar sobre o quão longe está disposta a ir para obter o que mais deseja.

Vencedor do Prêmio do Júri de melhor roteiro no Festival de San Sebastián

.

Filmes de cineastas consagrado(a)s

- 24 Frames, de Abbas Kiarostami

“Um dia, quando eu não tinha nada para fazer, comprei uma Yashica barata e saí pela natureza. Eu queria estar em contato com ela. Ao mesmo tempo, desejava compartilhar com os outros momentos agradáveis que testemunhei. É por isso que comecei a tirar fotografias. Para, de alguma maneira, eternizar esses momentos de paixão e dor…”

 

- Zama, de Lucrecia Martel

Zama, um oficial da Coroa Espanhola nascido na América do Sul, espera por uma carta do rei concedendo-lhe a transferência da cidade onde está para um lugar melhor. Para garantir que nada atrapalhe sua mudança, ele é forçado a aceitar de forma submissa qualquer tarefa dada pelos inúmeros governadores que chegam e vão embora. Os anos passam e a mensagem do rei nunca chega. Quando Zama percebe que isso nunca irá acontecer, ele se junta a um grupo de soldados que procura por um perigoso bandido.

 

- Napalm, de Claude Lanzmann

Napalm é a história de um transformador e breve encontro que aconteceu em 1958. Ele ocorre entre um integrante francês da primeira delegação da Europa Ocidental oficialmente convidada à Coreia do Norte depois da devastadora Guerra das Coreias, e uma enfermeira do hospital da Cruz Vermelha em Pyongyang, capital do país. A enfermeira, Kim Kum-su, e o delegado francês conheciam apenas uma palavra em comum: napalm. O diretor Claude Lanzmann voltou à Coreia do Norte sem uma permissão de filmagem. Cada cena representa uma vitória sobre a supervisão constante da polícia política do regime, que acabou descobrindo os verdadeiros motivos que trouxeram Lanzmann de volta ao país.

 

- O Amante de Um Dia, de Philippe Garrel

Esta é a história de um pai, sua filha de 23 anos, que volta para casa depois de terminar um relacionamento, e sua nova namorada, que também tem 23 anos e vive com ele.

 

- Visages, Villages, de Agnés Varda e JR

Agnès Varda e JR têm coisas em comum: sua paixão por imagens e, mais particularmente, o questionamento sobre os lugares onde elas são mostradas e a maneira como são compartilhadas e expostas. Agnès escolheu o cinema. JR escolheu criar galerias fotográficas ao ar livre. Quando os dois se conheceram, em 2015, imediatamente quiseram trabalhar juntos —fazer um filme na França, longe das cidades. Em encontros aleatórios ou planos pré-concebidos, eles partem em direção a outras pessoas e as convidam a segui-los em sua viagem no caminhão fotográfico de JR.

 

- A Telenovela Errante, de Raúl Ruiz e Valeria Sarmiento

A realidade chilena não existe; é, na verdade, um conjunto de telenovelas que funcionam como um filtro revelador. Os problemas políticos e econômicos estão imersos em uma mistura ficcional, divida em episódios noturnos. Filmado por Raúl Ruiz no Chile em 1990, o longa foi finalizado com a direção de Valeria Sarmiento neste ano.

 

- O Dia Depois, de Hong Sang-Soo

É o primeiro dia de Areum em uma pequena editora. Bongwan, seu chefe, terminou há pouco tempo o relacionamento que mantinha com a funcionária que trabalhava ali anteriormente. Ainda nesse mesmo dia, Bongwan, que é casado, sai de casa na manhã escura e parte para o trabalho. Sua esposa encontra um bilhete de amor, explode em fúria no escritório e acaba confundindo Areum com a mulher que ele deixou.

 

- Os 7 Desertores, de Paul Vecchiali

Em uma aldeia em ruínas, quatro homens e três mulheres se reúnem depois de desertarem. Eles sobrevivem roubando nas casas das redondezas. Alguns já se conhecem. Outros começam a criar laços afetivos. De repente, sem saber por que e de onde vêm, eles são mortos a tiros um após o outro.

.

Atores premiados em festivais

- Aos Teus Olhos, de Carolina Jabor

Um jovem professor de natação é acusado pela família de um garoto de sete anos de ter dado um beijo na boca da criança durante uma aula. Antes da denúncia sequer ser comprovada, ele passa a ter sua moral questionada com imensa fúria nas redes sociais por pais, alunos e até funcionários do clube onde trabalha, levando ao envolvimento da polícia. As consequências são inimagináveis.

Daniel de Oliveira recebeu o prêmio de Melhor Ator no Festival do Rio.

 

- Irmãos do Inverno, de Hylnur Pálmason

A história de dois irmãos e seu ambiente de trabalho durante um rigoroso inverno. Suas rotinas, seus hábitos, rituais e uma violenta disputa que surge entre eles e outra família, vistos por meio do olhar de Emil, o irmão mais novo.

Vencedor do Prêmio de Melhor Ator para Elliott Crosset Hove no Festival de Locarno.           

 

- Não é o Momento da Minha Vida, de Szabolcs Hajdu

Eszter, seu marido e o filho de cinco anos do casal são surpreendidos com uma inesperada visita no meio da noite. A irmã de Eszter, Ernella, seu marido e sua filha voltam após um ano na Escócia, onde, ao contrário das expectativas, não conseguiram se adaptar. Não demora a ficar claro que as duas famílias nunca estiveram na mesma sintonia.

Vencedor do prêmio de Melhor Ator para Szabolcs Hajdu no Festival de Karlovy Vary.

 

- Pororoca, de Constantin Popescu

Cristina e Tudor Ionescu formam uma família feliz com seus dois filhos, Maria, 5, e Ilie, 7. Ambos têm por volta de 30 anos e moram em um bom apartamento numa cidade romena. Em um domingo pela manhã, enquanto Tudor leva as crianças ao parque, Maria desaparece e a vida deles muda, de forma abrupta, para sempre.
Vencedor do Prêmio de Melhor Ator para Bogdan Dumitrache no Festival de San Sebastián.

.

Documentários que abordam períodos ditatoriais na América do Sul

- A Cor do Camaleão, de Andrés Lubbert

Durante a ditadura de Augusto Pinochet, Jorge é obrigado a trabalhar como um instrumento do serviço secreto chileno. Ele consegue escapar do Chile e se torna cinegrafista de guerra na Bélgica. Nos dias de hoje, seu filho Andrés o leva de volta aos lugares do seu passado inacabado.

 

- A Vida Extra-Ordinária de Tarso de Castro, de Zeca Brito e Leo Garcia

Boêmio. Provocador. Sedutor. Revolucionário. Além de idealizador do polêmico tabloide O Pasquim, Tarso de Castro (1941-1991) foi um dos maiores jornalistas do Brasil. Ao investigar sua vida, vem à tona a história de um país embriagado pela ditadura e pela censura, onde o sonho de democracia nascia de uma geração libertária.

 

- Amores de Chumbo, de Tuca Siqueira

Quarenta anos separam Maria Eugênia, escritora pernambucana radicada na França, do casal Miguel e Lúcia, que acabam de comemorar quatro décadas de união. O retorno de Maria Eugênia suscita dúvidas e desconfianças há muito tempo guardadas. Partindo do ponto de vista desses três personagens, se revive o momento político e social da época de chumbo da ditadura militar no Brasil — uma história que mudou o rumo de muitas vidas.

 

- Até o Próximo Domingo, de Evaldo Mocarzel

Construído como um fluxo de pensamento inspirado no conceito de monólogo interior do cineasta Sergei Eisenstein, o documentário resgata a memória fragmentada de um homem que viveu a infância e a adolescência durante a ditadura militar, quando era comum bater nos filhos em casa e também nas escolas.

 

- Aurora 1964, de Diego Di Niglio

Recife, Brasil, 2016. Um país marcado por conflitos políticos e sociais e em plena crise de sua democracia é o pano de fundo das narrativas do cotidiano de personagens que tiveram a vida atingida pelo regime militar instalado com o golpe de 1964. Um exercício de memória que constrói pontes entre épocas da história brasileira dos séculos 20 e 21.

 

- Em Nome da América, de Fernando Weller

Na década de 1960, milhares de jovens norte-americanos vieram para o Nordeste brasileiro para participar do programa de voluntariado Peace Corps. Testemunhos, materiais de arquivo e documentos históricos mostram as contradições entre a política exterior dos EUA e as motivações dos voluntários, atônitos diante das mazelas de uma região marcada pela fome e pela violência. O golpe militar de 1964 no Brasil, a Guerra do Vietnã e a infiltração da CIA na América Latina completam o cenário e revelam o temor de que o Nordeste se tornasse uma “nova Cuba”.

 

- O Pacto de Adriana, de Lissette Orozco

Quando criança, Lissette Orozco tinha sua tia Adriana como um grande exemplo. Porém, ao descobrir que ela trabalhava para a polícia secreta do ditador chileno Augusto Pinochet, Lissette decide enfrentar Adriana para desvendar os segredos obscuros da história de seu país.

 

- Soldados do Araguaia, de Belisário Franca

A história da Guerrilha do Araguaia (1967-1974) a partir de impressões, memórias e traumas dos recrutas do Exército Brasileiro que tomaram parte no conflito. Da convocação junto às comunidades ribeirinhas e rurais até a dispensa após o extermínio do grupo comunista, os relatos dos ex-soldados compõem uma narrativa em que recrutas e guerrilheiros se confundem debaixo da opressão militar. No “Vietnã” brasileiro, os vencedores retornam apenas como fantasmas: precisam lutar até hoje para superar os episódios de abuso e violência que sofreram e testemunharam.

.

Documentários que refletem sobre política no Brasil atual

- Camocim, de Quentin Delaroche

A cada quatro anos, o cotidiano calmo e tranquilo de Camocim de São Félix, uma pequena cidade de Pernambuco, é chacoalhado. Durante a campanha municipal, o local se divide em dois e todas as vidas parecem orbitar em torno da política. No meio desse mercado eleitoral, Mayara, 23, tenta fazer uma campanha “limpa” para eleger seu candidato e amigo César.

 

- Construindo Pontes, de Heloísa Passos

Um retrato da relação entre Heloisa, a diretora, e seu pai, Álvaro, um engenheiro que teve o seu momento de glória durante a ditadura civil-militar brasileira. Projeções, mapas e fotos são usados como primeiras pontes para se chegar ao passado. Mas é o inevitável presente que golpeia Álvaro e Heloisa quando, diante da conturbada situação política do Brasil de hoje, cada um se coloca em um ponto oposto.

 

- O Muro, de Lula Buarque

O documentário se desdobra a partir da série de protestos que reuniram milhões de cidadãos em todo o país durante o processo do impeachment da presidente Dilma Rousseff, em 2016. Em Brasília, um muro de aço foi erguido fora do Congresso para separar grandes manifestações relacionadas ao impedimento de Dilma —um símbolo perfeito para a democracia dividida do Brasil. O filme vai até a Alemanha em busca da memória do Muro de Berlim e a Israel, onde a Cisjordânia e as muralhas de Gaza fragmentam grupos e famílias sem a possibilidade de coexistência, e examina, assim, os riscos do Brasil se tornar refém de uma cultura de separação devido a ideologias extremas.

 

- Operações de Garantia da Lei e da Ordem, de Julia Murat

Sete eventos que formam um arco, começando com as manifestações em massa de milhares de pessoas em junho de 2013 até a prisão preventiva de 23 manifestantes por atividades que eles supostamente ainda cometeriam. Essa custódia por prevenção foi acompanhada de atos de repressão brutal dos protestos que ocorreram no final da Copa do Mundo de 2014, quando instrumentos militares, policiais, jurídicos e midiáticos sem precedentes foram implementados.

.

Ficções que abordam o universo da política

- Essa é Nossa Terra, de Lucas Belvaux

Pauline, uma enfermeira autônoma de um distrito de extração de minério do norte da França, cria os dois filhos sozinha e cuida de seu pai, um siderúrgico aposentado. No entanto, ninguém vê que Pauline, que se encontra diante de uma realidade social cada vez mais dura, está lentamente embarcando em um caminho que ninguém da família trilhou antes. Um partido nacionalista em ascensão aproveitará sua popularidade frente à comunidade para torná-la candidata nas eleições locais.

 

- A Cordilheira, de Santiago Mitre

Em uma reunião de presidentes latino-americanos no Chile na qual se discutem as estratégias e alianças geopolíticas da região, o presidente argentino Hernán Blanco enfrenta um drama que o forçará a encarar seus mais profundos conflitos. Ele terá de tomar decisões que podem mudar o curso de sua vida púbica e privada para sempre.

 

- Khibula, de George Ovashvili

Um homem eleito pelo povo para se tornar o mandatário de um novo país independente é tirado do poder por um golpe de estado. Ele foge para as montanhas onde supostamente há tropas leais o esperando. Ele pretende encontrá-las e voltar do exílio para reconquistar o poder. Mas sua jornada acaba sendo turbulenta, alternando confiança e desconfiança, esperança e desespero, enquanto seus sonhos começam a se misturar com a realidade.

- Mulheres Divinas, de Petra Volpe

Nora é uma jovem dona de casa que mora em uma pequena cidade com o marido e os dois filhos. O interior da Suíça permanece à parte dos grandes movimentos sociais surgidos em 1968. A vida de Nora tampouco é afetada; ela é uma pessoa pacata, de quem todos gostam. Até começar a lutar publicamente pelo direito ao voto feminino, que os homens devem decidir nas urnas no dia 7 de fevereiro de 1971.

.

Documentários sobre artistas brasileiros

- Todos os Paulos do Mundo, de Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira

A criação da Babel despeja pelo mundo homens que falam línguas diferentes: todos os rostos, corpos e vozes de Paulo José, encarnados nos personagens que o ator interpretou em sua carreira no teatro, na televisão e no cinema. Um ensaio cinematográfico sobre Paulo José, um dos maiores artistas do Brasil, no ano em que ele completa oito décadas de vida.

 

- Callado, de Emília Silveira

A vida e a obra de Antonio Callado (1917-1997). Dividido em oito blocos temáticos definidos de acordo com os acontecimentos mais marcantes de sua trajetória, o documentário mapeia a cultura brasileira por meio de uma de suas figuras de maior relevo.

 

- Eu, Pecador, de Nelson Hoineff

Agnaldo Timóteo relembra acontecimentos inesquecíveis de sua vida pessoal e pública como cantor romântico e político polêmico. Aos 80 anos de idade, o ícone Agnaldo busca votos em uma campanha eleitoral para vereador do Rio de Janeiro, ao mesmo tempo em que se apresenta em casas de shows consagradas e festas de aniversário de seus fãs.

 

- Henfil, de Angela Zoé

O documentário pretende contar a biografia de Henrique de Souza Filho (1944-1988), conhecido como Henfil, e, principalmente, mostrar a multiplicidade de talentos e personalidades que habitavam aquele que é, até hoje, um dos maiores cartunistas do Brasil.

 

- Inaudito, de Gregorio Gananian

Com/por Lanny Gordin: presença-frequência: o guitarrista Lanny Gordin um dos personagens fundamentais na transformação da música brasileira a partir da década de 60: eletrizou Gal Costa, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Jards Macalé, entre outros. No filme, Lanny nos revela o seu processo libertário de composição e pensamento atual: o guitarrista embarca em uma insólita odisseia pela China, local de nascimento, e Brasil, país onde vive: geografia atonal: desrazão: encontros inauditos.

 

- Legalize Já, de Johnny Araújo e Gustavo Bonafé

O encontro entre dois jovens, Marcelo —futuramente Marcelo D2— e Skunk, que vendiam camisetas e fitas cassete no centro do Rio de Janeiro para se sustentar, deu origem a uma das bandas mais populares do Brasil na década de 1990, o Planet Hemp. Reprimidos por uma sociedade preconceituosa, os dois fizeram da música um grito de alerta e resistência, conquistando corações e mentes de uma geração.

 

- Meu Tio e o Joelho de Porco, de Rafael Terpins

Rafael embarca em um surrado Landau azul e cruza a cidade de São Paulo colhendo verdades e mentiras sobre o conjunto de seu tio Tico, o já legendário proto-punk-satírico Joelho de Porco.

 

- Paulo Autran – O Senhor dos Palcos, de Marco Abujamra

Um retrato sobre a evolução do teatro no século 20 e uma reflexão profunda sobre a arte da atuação por meio da carreira de Paulo Autran (1922-2007), um dos maiores atores do Brasil.

 

- Primeiro Bailarino, de Felipe Braga

De dançarino de hip-hop a primeiro bailarino do Royal Ballet, Thiago Soares desvenda os bastidores da Royal Opera House, em Londres, enquanto ensaia junto a consagrados nomes da dança contemporânea —e se prepara para voltar ao Rio de Janeiro, sua cidade natal, onde vai enfrentar uma das apresentações mais desafiadoras de sua carreira.

 

- Torquato Neto – Todas as Horas do Fim, de Eduardo Ades e Marcus Fernando

Torquato Neto (1944-1972) vivia apaixonadamente as rupturas. O poeta piauiense atuava em múltiplas frentes —no cinema, na música, no jornalismo— e participou ativamente da revolução que mudou os rumos da cultura brasileira nos anos 1960 e 1970. Foi um dos letristas mais ativos da Tropicália, parceiro de Gilberto Gil, Caetano Veloso e Jards Macalé. Engajou-se na arte marginal com Waly Salomão, Ivan Cardoso e Hélio Oiticica. Suicidou-se no dia de seu aniversário de 28 anos.

.

Documentários sobre artistas estrangeiro(a)s

- A Poetisa, de Stefanie Brockhaus e Andreas Wolff

Hissa Hilal, uma poetisa de 43 anos e ativista da Arábia Saudita, testa seus limites na luta diária por mudanças. Encoberta em uma burca, ela ganhou fama internacional no Million’s Poet — um prestigiado concurso de Abu Dhabi— com seus poemas críticos ao terrorismo e às ideologias de islâmicos fanáticos.

 

- Chavela, de Catherine Gund e Daresha Kyi

Entrevistas inéditas dadas pela cantora Chavela (1919-2012) 20 anos antes de sua morte são o ponto de partida deste documentário. Guiado pelas histórias das músicas da artista, assim como pelos mitos em torno dessa figura —aqueles contados por outras pessoas e os que ela própria espalhava sobre si—, o filme constrói um retrato de uma mulher que ousou vestir-se, falar, cantar e sonhar uma vida singular.

 

- Daniel Hope – O Som da Vida, de Nahuel Lopez

Daniel Hope é um dos maiores violinistas da atualidade; ele faz parte da nova geração de protagonistas da música clássica. Uma estrela celebrada internacionalmente, que se apresenta nas principais salas de concerto de Pequim, Londres e Nova York. Sua biografia e sua carreira contêm uma trajetória extraordinária. Mas, além disso, é também uma história de afastamento, fuga e busca por autoconhecimento.

 

- El Vendedor de Orquideas, de Lorenzo Vigas

Aos 80 anos, o famoso pintor venezuelano Oswaldo Vigas retorna aos locais onde cresceu em busca de um quadro que foi perdido quando era jovem. Caso o encontre, ele e a mulher, Jeannine, poderão completar uma exposição sobre os primeiros anos de sua carreira. Isso acaba se tornando mais do que uma oportunidade de revisitar suas primeiras influências. Durante essa busca, Vigas se depara com um capítulo de sua juventude que marcou sua vida e o definiu como pessoa e artista.

- Gotthard – Vida e Alma, de Kevin Merz

No início dos anos 1990, dois jovens, Leo Leoni e Steve Lee, fundaram uma banda que se transformou em um dos grupos de rock suíço mais famosos da história, o Gotthard. Esperança, decepção, sacrifício, sucesso, luto e renascimento: a trajetória do conjunto que permaneceu unido apesar das adversidades.

 

- Lai, de Rusi Millán Pastori

Alberto Laiseca escreveu Los Sorias, o maior e mais delirante romance da literatura argentina, e depois foi dar aulas. Vários autores na casa dos 40 anos o tiveram como mentor. O filme mostra a relação que uniu os escritores ao professor. Um relacionamento em que o mestre passa por diferentes estados: às vezes, ele é conselheiro, mas de vez em quando também é um homem solitário e taciturno ou um artista furioso pela falta de reconhecimento; um homem com temperamento esquizofrênico ou um autor cuja vida sempre esteve inseparável do trabalho.

 

- Moacir III, de Tomas Lipgot

Moacir dos Santos é um cantor que aproveita sua liberdade depois de viver durante anos em um hospital psiquiátrico. Ele alimenta o sonho de realizar seu próprio filme. Ao lado do diretor Tomas Lipgot, Moacir representa suas fantasias e seus medos em um ato de cura audiovisual.

 

- Quem é Bárbara Vírgínia?, de Luísa Sequeira

Bárbara Virgínia (1923-2015) foi a primeira cineasta portuguesa a realizar um longa-metragem e a única mulher a fazer um filme na época da ditadura de seu país, além de ser também a primeira diretora competindo na edição de estreia do Festival de Cinema de Cannes, em 1946. Nos anos 1950, Bárbara se mudou para São Paulo e não retornou a Portugal. Por que não fez mais filmes? Por que não voltou para o seu país de origem? Filmado entre Brasil e Portugal, o documentário acompanha a diretora Luísa Sequeira em busca de Bárbara Virgínia.

 

- Revisitando Lamartine, de Pascal Catheland

Um filme e seu diretor, sua equipe técnica, seus atores e personagens. Paul Vecchiali está contando a história de amor entre Simon e La Martine. A realidade da filmagem é o pretexto para um jogo com o cinema, em que os limites dos frames se tornam cada vez mais permeáveis.

.

Ficções que abordam o universo musical

- Ao Redor de Luisa, de Olga Baillif

Luisa, uma cantora de 40 anos, e seu companheiro, Julien, um guitarrista e compositor, mantêm uma banda juntos há bastante tempo. Certo dia, o pai de Luisa —que ela não vê desde a adolescência— vem visitá-la depois de um show. O encontro, no qual ele conta que está muito doente, a desestabiliza e ela começa a enxergar sua própria vida de forma diferente.

 

- Canção de Granito, de Pat Collins

A vida do cantor irlandês Joe Heaney. A dura paisagem de Connemara combinada com os mitos, as fábulas e as músicas de sua infância ajudaram a moldar esse complexo e fascinante personagem. Enigmático, a devoção por sua própria arte teve grande custo pessoal.

 

- Django, de Étienne Comar

Na Paris ocupada de 1943, Django Reinhardt está no auge de sua carreira. Brilhante e despreocupado, o violonista de jazz, rei do suingue etéreo, toca para plateias lotadas nas principais casas de shows parisienses. Enquanto isso, ciganos como ele estão sendo perseguidos pela Europa. Sua vida muda inesperadamente quando a máquina de propaganda nazista quer enviá-lo para uma turnê na Alemanha.

 

- Nico, 1988, de Susanna Nicchiarelli

Uma das musas de Andy Warhol, cantora do The Velvet Underground e uma mulher de beleza lendária, Christa Päffgen (1938-1988), também conhecida como Nico, viveu uma segunda história de vida quando começou sua carreira solo. Em sua última turnê com a banda que a acompanhou pela Europa nos anos 1980, vemos um renascimento, uma artista, uma mãe, a mulher além do ícone.

 

- O Quarteto, de Miroslav Krobot

Em uma pequena cidade tcheca, um quarteto de cordas é formado por Robert, Simona, Tomas e Funes, todos insatisfeitos com suas vidas. Enquanto ensaiam para o próximo concerto, eles vão passar por situações estranhas e mal-entendidos, o que fará emergir os melhores e os piores sentimentos uns dos outros, prejudicando seu futuro como banda e como amigos.

 

- Yonlu, de Hique Montanari

Baseado na história real de um garoto de 16 anos que, com a ajuda da internet, conquistou o mundo com seu talento para a música e para a arte. Fluente em cinco idiomas, Yonlu tinha uma rede de amigos virtuais em todos os continentes. Ninguém desconfiava, contudo, que ele também participava de um fórum de potenciais suicidas.

.

Filmes sobre relações paternas

- Acta Non Verba, de Yvann Yagchi

Em 6 de outubro de 2012, aproximadamente à meia-noite, o banqueiro suíço Michel Yagchi cometeu suicídio no porão de sua casa em Genebra. Naquele momento, toda sua família estava fora do país, viajando para Bruxelas para a formatura do filho mais velho dele, Yvann. Três anos depois, Yvann decide investigar o misterioso suicídio do pai, confrontando a família, os amigos e os colegas de Michel.

 

- Além das Palavras, de Urszula Antoniak

Michael, um jovem imigrante polonês e advogado de sucesso em Berlim, recebe a visita do pai —que não conhecia e acreditava estar morto. A falta de amor paterno pode ter sido uma das razões que o fizeram deixar seu país. Passar o final de semana juntos poderá ser o acerto de contas com o passado, apesar das feridas ainda abertas.

 

- Andaimes, de Matan Yair

Asher é um garoto de 17 anos que sempre foi problemático e impulsivo. Com dificuldade para se concentrar nas aulas, ele é acometido por rompantes de raiva e violência. Enquanto seu severo pai o vê como um sucessor natural do negócio de andaimes da família, o menino encontra um exemplo masculino diferente em seu professor de literatura. Dividido entre esses dois mundos, Asher busca uma chance para uma nova vida e uma nova identidade.

 

- Antes que eu me Esqueça, de Tiago Arakilian

Aos 80 anos, Polidoro decide demolir a estabilidade de sua confortável vida de juiz aposentado e virar sócio de uma boate de striptease. Beatriz, sua filha, resolve interditá-lo judicialmente. Seu filho Paulo se declara incapaz de opinar sobre essa decisão porque não mantém relações com o pai. O juiz, então, determina o encontro forçado entre pai e filho, em uma reaproximação que transformará suas vidas.

 

- Corvos, de Jens Assur

Um fazendeiro, desesperado pela dura realidade de seu cotidiano, está determinado a fazer seu filho assumir a propriedade e, assim, continuar o seu legado. A mãe faz de tudo para manter a família unida, enquanto, cada vez mais aterrorizado, o filho testemunha o comportamento psicótico do pai se torna cada vez pior. Ele procura refúgio em outros lugares, mas não é capaz de fugir do inevitável.

 

- Feliz Aniversário, de Christos Georgiou

George, um policial trabalhando em uma manifestação, vê a filha, Margarita, no meio dos manifestantes que o encaram. Para protegê-la e melhorar a relação entre pai e filha, os dois viajam por alguns dias para a casa que eles têm no interior.

 

- Mil Cordas, de Tusi Tamasese

Maea é um lutador aposentado que tenta se redimir do passado diminuindo as dores que jovens gestantes sentem ao carregar uma criança. Ele trabalha na padaria local e em casa precisa lidar com um espírito que o amedronta e o faz companhia. Quando sua filha mais nova retorna, machucada e grávida, Maea tem, de um lado, a tentação da vingança, algo que conhece muito bem, e do outro, a possibilidade de criar uma nova família e ter a companhia que lhe faz tanta falta na vida.

 

- Não Sei Dizer Adeus, de Lino Escalera

Carla recebe um telefonema da irmã avisando que seu pai, com quem não mantém contato, está doente. No mesmo dia, ela pega um voo para Almería, sua cidade natal. Lá, os médicos dão apenas alguns meses de vida a ele. Carla se recusa a aceitar o diagnóstico e, contrariando a todos, decide levá-lo até Barcelona para um tratamento. Ela e o pai, então, partem em uma jornada para fugir de uma realidade que nenhum dos dois deseja enfrentar.

 

- Temporada de Caça, de Natalia Garagiola

Ernesto é um respeitado guia de caça da Patagônia, onde vive com sua nova família. Depois da morte de sua primeira mulher, ele passa a abrigar Nahuel, o filho adolescente que ele não via há mais de uma década. Confrontado com o passado que deixou para trás, Ernesto se esforça para conter os ataques violentos de Nahuel. Sem a simpatia de sua nova família, o rapaz leva o conflito com o pai até o limite. Mas, na natureza hostil, ressentimentos dão lugar a um possível relacionamento entre esses dois homens. A reconciliação vai confrontá-los com suas próprias capacidades de matar e perdoar.

.

Filmes sobre amadurecimento de jovens

- A Garota do Lago Anzie, de Alice Schmid

Um verão crucial na vida de Laura, uma menina de 12 anos que vive em uma área remota nas montanhas suíças. Filha única de uma família de fazendeiros —e geralmente deixada sozinha—, ela se torna obcecada pelas lendas sobre uma caverna em um local em que ninguém se atreve a ir. Até que um garoto da cidade chega para ajudar na fazenda e ela, finalmente, encontra um amigo para dividir medos e fantasias. Quando o rapaz vai embora, Laura toma coragem e decide explorar o misterioso lugar.

 

- A Ilha dos Pinguins, de Guille Sohrens

Santiago, Chile, 2006. Martín, um estudante do ensino médio indiferente a tudo, une-se à ocupação de sua escola para se aproximar de Laura, a presidente idealista do centro estudantil. Durante o movimento, Martín vai questionar seus preconceitos com os colegas e, pouco a pouco, embarcará na mesma luta deles. Juntos, esses jovens vão enfrentar as adversidades do confinamento enquanto suas relações se transformam, o amor floresce e a apatia da sociedade começa a desaparecer com o nascimento da revolução dos pinguins.

 

- Beijos de Borboleta, de Rafael Kapelinski

Todos carregam seus próprios demônios. Jake, porém, não pode revelar os seus. Junto aos seus melhores amigos, ele atravessa a puberdade jogando sinuca, assistindo a filmes pornôs e ficando bêbado. Enquanto os outros rapazes pensam em garotas o tempo inteiro, Jake é mais reservado, e tenta, sem muita vontade, perder a virgindade para agradar os amigos. Seus interesses, no entanto, apontam em outra direção, uma que ele nunca será capaz de admitir.

 

- Blue My Mind, de Lisa Bruhlmann

Pouco antes de suas férias de verão, Mia, de 15 anos, muda-se com os pais para o subúrbio de Zurique. Enquanto desbrava a adolescência, seu corpo começa a sofrer estranhas mudanças. No início, elas são quase imperceptíveis, mas aos poucos começam a deixá-la louca. Desesperada, Mia apela para o sexo e as drogas, na esperança de deter a força dessas transformações. A natureza, no entanto, é mais poderosa.

 

- Crianças da Noite, de Andrea De Sica

Giulio, um jovem de 17 anos de uma família rica, é mandado para um internato. Isolado nos Alpes, em um lugar onde há regras para limitar qualquer contato com o exterior, ele se torna amigo de Edoardo. A amizade é selada por constantes fugas à noite, quando os rapazes passam a frequentar uma boate escondida na floresta, que se torna um refúgio para os dois. Até que eles conhecem Elena, uma prostituta, e se apaixonam por ela.

 

- Dayveon, de Amman Abbasi

Após a morte de seu irmão mais velho, Dayveon, um garoto de 13 anos de idade, passa os dias escaldantes de verão vagando pelo Arkansas rural, onde vive. Quando se junta a uma gangue local, Dayveon começa a ser atraído pelo companheirismo e pela violência daquele mundo.

 

- Manuel, de Dario Albertini

Manuel acaba de completar 18 anos e está prestes a sair do lar adotivo onde viveu desde que sua mãe foi presa. Sozinho com suas esperanças e temores, ele tenta deixar a adolescência para trás e tornar-se um adulto responsável. Ele precisa provar às autoridades que pode cuidar da mãe caso ela fique em prisão domiciliar. Manuel conseguirá devolver a liberdade a ela sem perder a própria?

 

- Não Devore o Meu Coração, de Felipe Bragança

Joca, um jovem de 13 anos, descobre o amor quando conhece Basano, uma menina paraguaia. No entanto, para conquistá-la, o garoto passará por grandes dificuldades, como problemas relativos à fronteira entre o Brasil e o Paraguai e a relação com seu irmão, Fernando, um homem que pertence a uma perigosa gangue de motociclistas.

 

- O Pequeno Porto, de Iveta Grófová

Jarka tem dez anos de idade e mora com a mãe, que não está preparada para lidar com a maternidade. Motivada pelo desejo de amar e de ter uma família, a menina acaba dando abrigo a dois bebês gêmeos abandonados.

 

- Playground, de Bartosz M. Kowalski

O último dia de aula em uma pequena cidade polonesa é também a derradeira chance para Gabrysia, uma garota de 12 anos, contar a um colega que está apaixonada por ele. A menina marca um encontro com seu interesse amoroso e o chantageia para que ele apareça. O que deveria ser uma conversa íntima foge do controle, levando a um desfecho inesperado.

 

- Respiro, de Narges Abyar

A jovem Bahareh vive em Yazd, no Irã, com seu pai e sua avó. São tempos turbulentos. Primeiro a Revolução Iraniana e, depois, a longa guerra entre o Irã e o Iraque. Mas Bahareh tem seus pensamentos mergulhados em um livro e imersos em suas próprias fantasias para tentar fazer com que o mundo à sua volta faça sentido.

.

Filmes sobre relacionamentos contemporâneos

- A Ex-Mulher, de Katja Wik

Recentemente, Klara se apaixonou e tudo o que ela quer é estar perto de Jacob. Anna controla o marido com um cronômetro quando ele está preparando a mamadeira do bebê. Vera não consegue deixar seu ex-marido. O filme conta a história de três relacionamentos, em que a namorada, a mulher e a ex-esposa se reúnem em uma reveladora sátira sobre o percurso das relações — da paixão ao divórcio.

 

- Amantes, de Niels Holstein Kaa

O inverno finalmente chega ao fim. As ciclovias e os cafés de rua em Copenhague ganham vida lentamente, e não demora para que os banhistas se reúnam na praia. Nesse contexto, desenvolve-se uma história ancorada na experiência de três pessoas diferentes —Marie, Niklas e Nina— com relacionamentos de curta duração.

 

- Amar, de Esteban Crespo

Laura e Carlos se amam como se todo dia fosse o último. Motivada pelo desejo de guiar a própria vida e de se libertar do controle de sua mãe, Laura sonha em engravidar. Ambos estão em busca de um lugar no mundo, mas, após um ano, depois de amadurecerem, a paixão entre eles é apenas uma memória.

 

- Cadeiras Brancas, de Reza Dormishian

Tanto Mat quanto Emily perderam suas famílias no terremoto de Christchurch, na Nova Zelândia, e vivem sozinhos. Eles estão apaixonados, apesar de nunca terem arriscado conversar um com o outro —o relacionamento existe apenas na cabeça deles.

 

- Europa, Amor, de Jan Gassmann

A Europa à beira de mudanças sociais e econômicas. Um retrato de quatro casais, suas dificuldades e lutas diárias, filhos, sexo e paixão. Um filme sobre a política do amor.

 

- Sexo, Piedade e Solidão, de Laris Montag

Treze homens e mulheres diferentes, conectados entre si, lutam para encontrar amor, afeição e sexo em um mundo urbano cada vez mais duro e insensível.

 

- Todas as Razões Para Esquecer, de Pedro Coutinho

Após terminar sua relação de longa data, Antônio não tem dúvidas de que rapidamente vai esquecer Sofia, sua ex-namorada, mas nada é tão simples quanto parece. Na verdade, nunca é. Percebendo a impossibilidade de controlar os próprios sentimentos, Antônio passa a boicotá-los, usando todos os tipos de medidas paliativas contemporâneas para se libertar da lembrança de Sofia: psicanálise cognitiva, tarja preta, Tinder, entre outras, que o levam a passar por inúmeras situações tragicômicas.

.

Filmes que tematizam a questão dos refugiados/imigrantes

- Bem-vindo à Suíça, de Sabine Gisiger

No verão de 2015, um milhão de refugiados procuram por asilo na Europa e 40 mil deles conseguem chegar à Suíça. O prefeito da cidade mais rica da região da Argóvia pretende dar o exemplo e recusa a entrada de qualquer refugiado em seu município. Johanna Gündel, estudante e filha de um agricultor local, passa a lutar contra essa política ao lado de outros moradores. Tomando como ponto de partida os eventos em Oberwil-Lieli, o filme conta a história da Suíça nos tempos da crise de refugiados, mostrando o que o país era, quer ser ou poderia se tornar.

 

- Além, de Onur Saylak

Gaza é um menino de 14 anos que vive na costa do mar Egeu, na Turquia. Ao lado de seu autoritário pai, ele ajuda a contrabandear refugiados para a Europa, dando abrigo temporário até que eles consigam cruzar a fronteira. Gaza sonha em fugir dessa vida, mas não consegue se desvencilhar desse mundo sombrio de exploração e sofrimento. É possível não se tornar um monstro quando se foi criado por um?

 

- Mar de Tristeza, de Vanessa Redgrave

Ao relatar a própria experiência como uma expatriada de guerra, a atriz e ativista inglesa Vanessa Redgrave conta a história dos refugiados que fugiram das zonas de guerra europeias no último século, ao mesmo tempo em que traça paralelos com as decisões governamentais em relação aos imigrantes nos anos 1930 e hoje.

 

- Pescadores de Corpos, de Michele Pennetta

O destino da tripulação do Alba Angela —um barco de pesca clandestino— atravessa o caminho de Ahmed, um refugiado sírio que vive ilegalmente na embarcação que, antes de se tornar sua casa e prisão, trouxe outros como ele para a Sicília.

 

- Quando Paul Atravessou o Mar – Diário de Um Encontro, de Jakob Preuss

Paul partiu de Camarões e, através do Saara, chegou à costa marroquina, onde espera o momento certo para atravessar o Mediterrâneo. Lá, ele conhece Jakob, um cineasta de Berlim que está filmando as fronteiras europeias. Paul consegue fazer a travessia para a Espanha em um barco de borracha, mas metade de seus companheiros morrem no trajeto. Depois de dois meses detido em um centro de deportação, ele reencontra o diretor em um abrigo para migrantes no sul da Espanha. Quando Paul decide continuar sua viagem à Alemanha, Jakob precisa fazer uma escolha: ele se tornará parte da busca de Paul por uma vida melhor ou permanecerá como um cineasta desvinculado das coisas ao seu redor?

 

- Terra Heroica, Fronteira Queimada, de Elizabeth Perceval e Nicolas Klotz

Inverno de 2016. A “selva” de Calais é uma cidade em crescimento com cerca de 10 mil habitantes. No início da primavera, as lojas, as ruas e as casas da zona sul são completamente destruídas. A população se muda para a zona norte em busca de abrigo. No outono, a França organiza o desmatamento da “selva”. Mas ela é um território mutante, uma cidade mundo, uma cidade do futuro: mesmo arrasada, sempre renasce das cinzas. Registrando jovens presos no tumulto da guerra, violência policial e tentativas de atravessar a fronteira para chegar à Inglaterra, o documentário poderia ser um episódio esquecido da Odisseia de Homero.

.

Documentários sobre questões do Oriente Médio

- A Oeste do Rio Jordão, de Amos Gitai

Amos Gitai retorna aos territórios ocupados da Cisjordânia pela primeira vez desde o documentário Diário de Campanha (1982). Por meio dos esforços dos cidadãos israelenses e palestinos em superar as consequências da ocupação, o filme mostra os laços criados entre ativistas, jornalistas, mães em luto, militares e colonos judeus. Diante do fracasso político em resolver a situação, essas mulheres e esses homens agem em nome de suas consciências cívicas, energia que funciona como uma proposta de mudança há muito esperada.

 

- Aqueles que Restam, de Eliane Raheb

Em um complexo ponto geopolítico no norte do Líbano, a alguns quilômetros da Síria, mora Haykal, um fazendeiro cristão de 60 anos que luta para permanecer em sua terra apesar das tensões sectárias, do medo e da falta de esperança.

 

- Dimona Twist, de Michal Aviad

Sete mulheres chegam a Israel nas décadas de 1950 e 1960 e são mandadas diretamente para Dimona, uma nova cidade no deserto. No documentário, elas compartilham suas histórias pela primeira vez. O que aconteceu depois que deixaram o norte da África e a Polônia e se viram erguendo uma cidade no meio do nada?

 

- Um Sentimento Maior que o Amor, de Mary Jirmanus Saba

O filme retorna a um momento no Líbano em que uma revolução social poderia ter acontecido —quando duas greves de trabalhadores foram abreviadas por uma guerra civil. Entrelaçando cenas do cinema militante libanês com a realidade atual de trabalhadores e agricultores, além de histórias pessoais das jovens mulheres que lideraram as paralisações, o documentário pergunta ao passado como transformar o presente.

.

Ficções ambientadas na Segunda Guerra Mundial

- 1945, de Ferenc Torok

Em um escaldante dia de agosto na Hungria em 1945, moradores se preparam para um casamento no vilarejo onde vivem. Enquanto isso, dois estranhos chegam à estação de trem local com misteriosas caixas etiquetadas com a palavra “fragrâncias”. Os habitantes do povoado temem que os homens possam ser herdeiros dos judeus deportados da aldeia e que mais sobreviventes possam vir, representando uma ameaça às propriedade e bens que adquiriram durante a guerra.

 

- Um Judeu Deve Morrer, de Jacob Berger

Em abril de 1942, a guerra parece distante da pequena cidade suíça de Payerne. A economia local, porém, está fraca, as pessoas descontentes, e os cafés cheios de personagens sinistros. O dono de uma garagem e seus amigos juram lealdade ao partido nazista. Eles sonham em chamar a atenção de Adolf Hitler. Em 16 de abril acontecerá uma feira de gado e Arthur Bloch, um negociante, estará lá. Esse é o dia em que um judeu será morto para servir de exemplo.

 

- Uma Questão Pessoal, de Paolo e Vittorio Taviani

Verão de 1943, Piemonte, Itália. Milton ama Fulvia, que brinca com seus sentimentos: ela gosta apenas da intensidade de seus pensamentos e das cartas que recebe dele. Um ano depois, Milton se junta à Resistência italiana durante a Segunda Guerra Mundial. Ele descobre, no entanto, que Fulvia está apaixonada por seu melhor amigo, Giorgio, que também é membro do movimento. Milton decide ir atrás do amigo na região italiana de Langhe, mas Giorgio acaba de ser preso pelos fascistas.

.

Filmes com investigações sobre assassinatos

- O Terceiro Assassinato, de Hirokazu Kore-Eda

Um advogado renomado assume a defesa de um suspeito de roubo e assassinato que já cumpriu pena por outro homicídio há 30 anos. As chances de ganhar o caso parecem remotas —já que seu cliente assumiu a culpa, mesmo em vias de enfrentar a pena de morte caso seja condenado. À medida que o advogado se aprofunda no caso, ouvindo testemunhas da família da vítima, ele começa a duvidar que seu cliente seja o verdadeiro assassino.

 

- Berenice Procura, de Allan Fiterman

Berenice é uma mulher de 35 anos, extremamente dedicada ao seu trabalho de taxista. Ela passa dez horas diárias dentro do carro, num trânsito caótico, e tem uma paixão especial por fatos policiais e cenas de crimes. Seu ex-marido é Domingos, um repórter que trabalha num programa sensacionalista de muita audiência chamado Cidade Justa. É por meio dele e das páginas policiais dos jornais que Berenice se mantém informada sobre os delitos que ocorrem na cidade. Certo dia, no entanto, ela se vê envolvida em um caso de assassinato em Copacabana e decide fazer sua própria investigação. Adaptação do romance homônimo de Luiz Alfredo Garcia-Roza.

 

- Estrangulado, de Árpád Sopsits

Na Hungria socialista dos anos 1960, uma série de assassinatos ocorre na pequena cidade de Martfű. Enquanto um assassino continua à solta matando jovens mulheres, um homem é acusado e sentenciado injustamente por crimes que nunca poderia ter cometido. Um detetive assume o caso e fica obcecado pela história, ao mesmo tempo em que o promotor o pressiona a condenar alguém.

.

Filmes de ficção científica

- A Maldita Primavera, de Marc Ferrer

Uma reptiliana é enviada à Terra para descobrir se a raça humana é uma ameaça ao restante das civilizações da galáxia e decidir se devemos ser exterminados. Uma ficção científica sobre diversão, música pop e a efemeridade das paixões e da juventude.

 

- Grão, de Semih Kapanoglu

Em um futuro próximo, o professor Erol Erin, um geneticista de sementes, vive em uma cidade protegida de imigrantes multiétnicos por muros magnéticos. Por razões desconhecidas, as plantações do local são afetadas por uma crise genética. Durante uma reunião na corporação para a qual trabalha, Erol ouve falar a respeito de um homem que escreveu uma tese sobre as recorrentes crises que afetam sementes geneticamente modificadas. Erol parte em uma viagem para encontrá-lo, em uma jornada que mudará tudo o que sabe.

 

- Origami, de Patrick Demeris

David se encontra em uma viagem muito peculiar: uma que não o leva de um lugar a outro —mas, sim, de um momento a outro. Tentando entender melhor essa estranha habilidade que o permite mover-se ao longo da linha do tempo de sua vida, ele precisa enfrentar essa cronologia desconstruída, assim como questões reprimidas do passado.

.

Filmes que retratam pessoas/personagens com deficiência

- Amada Pia, de Daniel Borgman

Uma obra de ficção desenvolvida a partir da vida de uma mulher real, Pia, que é deficiente intelectual. Ela tem 60 anos e vive sob os cuidados da mãe, Guittou, de 84. Pia tem medo de ficar sozinha e se preocupa com o que vai acontecer quando sua mãe morrer. Apesar de nunca ter tido um namorado, ela acredita que precisa encontrar alguém para amar e poder sobreviver. Assim, Pia conhece Jens e embarca em um relacionamento com ele, sem perceber que nesse meio tempo é Guittou quem fica sozinha.

 

- De Encontro com a Vida, de Marc Rothemund

Saliya ficou parcialmente cego quando adolescente. Apesar disso, não desistiu do seu sonho de trabalhar em um hotel de luxo. Sem contar a ninguém que mal vê, o rapaz consegue um estágio no hotel mais conceituado de Munique. No entanto, quando Saliya se apaixona por Laura, seu plano, cuidadosamente elaborado, começa a desmoronar.

 

- Emma, de Silvio Soldini

Teo trabalha no departamento de criação de uma moderna agência de publicidade. Gentil e charmoso, ele aproveita a vida sendo um mulherengo inatingível. Emma é cega desde os 16 anos, mas isso não a impediu de se tornar uma osteopata. Ela é bonita, animada e tem ótimos amigos. Quando os dois se conhecem, Teo fica hipnotizado pela voz dela. Intrigado e atraído como nunca esteve por uma mulher cega, ele a chama para um encontro.

 

- Morte sobre Rodas, de Attila Till

Dois amigos deficientes se juntam a um ex-bombeiro cadeirante e formam uma gangue de assassinos de aluguel. Mas as coisas não são bem o que parecem. Os limites entre realidade e ficção são tênues, e a realidade é um pouco mais banal.

 

- Organismo, de Jeorge Pereira

Diego é um jovem tetraplégico que se vê sozinho em casa após a morte fulminante da mãe. Ele tem a difícil missão de sobreviver dias sem se alimentar até que alguém o socorra. Imobilizado devido à sua condição física, o rapaz busca em seu passado e em um possível futuro, em um fluxo de consciência atemporal de memórias da infância, de relações amorosas, de desejos íntimos e de conflitos pessoais, novos alicerces para uma vida que inicia na aceitação de um novo corpo.

 

- O Sinal de Amor, de Elad Cohen e Iris Bem Moshe

Elad nasceu surdo em uma família que escutava. Depois da morte trágica de sua mãe e o esfacelamento da família, ele toma a decisão mais importante de sua vida: se tornar pai.

.

Filmes de animação

- Com Amor, Van Gogh, de Dorota Kobiela e Hugh Welchman

A vida e a controversa morte de Vincent van Gogh (1853-1890) contadas a partir de suas pinturas e dos personagens que as habitam. A narrativa se desenvolve por meio de entrevistas com personagens próximos ao artista e de reconstruções dramáticas dos eventos que o levaram à morte. O filme apresenta seus mais importantes quadros e o enredo é baseado em cartas escritas por ele. Primeiro longa-metragem feito totalmente em óleo sobre tela.

 

- Teerã Tabu, de Ali Soozandeh

Teerã é uma cidade cheia de restrições e leis religiosas onde qualquer tipo de crime é passível de uma punição draconiana. No entanto, jovens mulheres e homens buscam viver livremente e fazem disso uma prática diária para evitar essas rigorosas proibições. Nesse contexto, três mulheres de diferentes origens sociais e um jovem músico terão seus caminhos cruzados.

 

- Tenha Um Bom Dia, de Liu Jian

Uma tempestade está prestes a cair sobre uma pequena cidade no sul da China. Em uma tentativa desesperada para salvar a desastrosa cirurgia plástica de sua noiva, Xiao Zhang, um motorista, rouba de seu chefe uma mala de dinheiro. A notícia se espalha rapidamente e, ao longo de uma noite, todos procuram por Xiao Zhang e seu dinheiro.

 

- Zombillenium, de Arthur de Pins e Alexis Ducord

Ninguém sabe, mas os lobisomens, os vampiros e os zumbis que trabalham no parque de diversão Zombillenium são monstros de verdade. Quando Hector, um humano, ameaça revelar a identidade dos empregados, Francis, o vampiro que gerencia o local, não tem outra opção senão contratá-lo. Lá dentro, Hector precisa escapar de seus colegas de trabalho para voltar a ver sua filha ou ele corre o risco de terminar como mais uma atração do parque.

.

Road Movies

- Antes que o Verão Acabe, de Maryam Goormaghtigh

Depois de passar cinco anos estudando em Paris, Arash, que não se acostumou à vida na França, decide voltar ao Irã. Com a esperança de fazê-lo mudar de ideia, seus dois amigos, Hossein e Ashkan, o convencem a ir com eles para uma última viagem pela França.

 

- O Vento Sopra Onde Quer, de Kim Ekberg

Elma, uma jovem escritora, é abandonada pela namorada. Enquanto tenta superar o fim da relação, ela embarca em uma odisseia espiritual, física e metafísica pelo interior da Suécia. Elma se depara com uma série de personagens igualmente errantes que desejam alguma companhia nas estradas, enquanto o passado, o presente e o futuro da Suécia desaparecem lentamente.

 

- Pequenas Asas, de Selma Vilhunen

Varpu tem 12 anos e não conhece o pai. O convívio entre a garota e sua mãe, Siru, é afetuoso, mas ela trata a filha como uma adulta, o que faz com que Varpu não tenha uma infância normal. Depois de uma discussão entre as duas, a menina rouba um carro e cruza o país até chegar ao norte da Finlândia para procurar pelo pai.

.

Documentários que tematizam a arquitetura

- 6999 Portas, de Yamina Zoutat

“A primeira vez que entrei no Tribunal de Paris eu tinha 20 anos. Seis mil, novecentas e noventa e nove portas, 3.150 janelas e 24 quilômetros de corredores, segundo a lenda. Nas noites em que precisava ficar até tarde esperando um veredito, me afastava das luzes e mergulhava nos corredores cada vez mais escuros. Ouvia ruídos vindos das profundezas. Tinha a sensação de que a Corte estava viva e parecia se mover. Sua remoção iminente apressou a minha volta. Das passagens cheias de labirintos e meus encontros, das histórias escondidas, surge peça por peça o retrato de uma ideia abstrata: a justiça.”

 

- Eu Sou a Gentrificação: Confissões de um Canalha, de Thomas Haemmerli

Um ensaio bem-humorado e pessoal que trata de arquitetura, habitação, espaço, densidade, gentrificação e desenvolvimento urbano. A narrativa abrange os diferentes lugares nos quais o diretor viveu, começando por sua infância em um bairro rico, passando por ocupações, apartamentos compartilhados, além da vivência em cidades como Tbilisi, São Paulo, Zurique e Cidade do México. Tudo aqui é ridicularizado: os populistas de direita que têm medo de perder espaço para os imigrantes e a esquerda que abandonou a modernidade.

 

- Hotel Iugoslávia, de Nicolas Wagnières

Erguido em Belgrado em 1969, o Hotel Jugoslavija foi um lugar mítico. Era o maior hotel dos Bálcãs e, ao mesmo tempo, símbolo e testemunha dos diferentes momentos que definiram o país: da Iugoslávia de Tito à Sérvia de Milosevic; do socialismo ao liberalismo econômico corrompido. Explorando os ambientes do prédio e se amparando nas memórias daqueles que costumavam habitá-lo, o diretor —de origem iugoslava por parte de mãe, mas nascido e criado na Suíça— constrói um singular espaço-tempo de onde emerge uma consciência coletiva, assim como parte de sua própria identidade.

 

- Tudo é Projeto, de Joana Mendes da Rocha e Patricia Rubano

Documentário sobre vida e obra de Paulo Mendes da Rocha, o arquiteto brasileiro mais renomado da atualidade. Por meio de uma série de entrevistas reveladoras para sua filha, Joana, ao longo de dez anos, ele conta sua história, em que expõe suas reflexões sobre urbanismo, natureza, humanidade, arte e técnica que lhe renderam o prêmio Pritzker, considerado o Nobel da arquitetura. Em um constante diálogo entre entrevistado/pai e entrevistadora/filha, Joana é o fio condutor do filme. Mas, como em todas as relações pessoais, principalmente entre pais e filhos, o fio que conduz é também o que é conduzido.

.

Filmes sobre religiosidade/espiritualidade

- A Imagem da Tolerância, de Joana Mariani e Paula Trabulsi

A imagem de Nossa Senhora Aparecida é considerada o maior símbolo da fé no Brasil e, em 2017, comemoram-se os seus 300 anos. O documentário retrata as diferentes manifestações de fé em seu santuário, no interior de São Paulo, que anualmente atrai mais de 12 milhões de pessoas.

 

- Híbridos, os Espíritos do Brasil, de Priscilla Telmon e Vincent Moon

Desde a maior procissão católica do mundo a um desconhecido ritual indígena no Mato Grosso, de passes de cura em centros espíritas a novos rituais com ayahuasca em São Paulo, o documentário revela os laços fraternos entre curandeiros, xamãs, místicos, devotos e iniciados. Uma jornada musical através desses diversos rituais, que tece, aos poucos e meticulosamente, um novo ritual —um ritual cinematográfico.

 

- Verde Seco, de Mohammed Hammad

Iman é uma jovem religiosa conservadora que se incomoda com a opinião dos outros sobre ela e que mantém uma posição rígida sobre a extinção das tradições sociais. Uma terrível descoberta, no entanto, irá fazê-la abandonar todas as tradições às quais um dia foi tão apegada.

.

Filmes que levantam questões ambientais

- Uma Verdade Mais Inconveniente, de Bonni Cohen e John Shenk

Uma década após Uma Verdade Inconveniente trazer a crise climática para o coração da cultura popular, a sequência do documentário mostra o quão perto estamos de uma verdadeira revolução energética.

 

- O Canto do Cisne, de Nola Anwar, Felix Giese, Jan Gilles, Amina Krami e Angela Queins

Uma vila está sendo gradualmente desalojada em razão da mineração. Fontes substanciais de carvão estão debaixo das ruas e as escavadeiras estão cada vez mais próximas, ao mesmo tempo em que os moradores restantes são forçados a deixar suas casas. Os últimos dias nessa comunidade são contados a partir da perspectiva de Robert, Helena, Birk, Greta e Margit, enquanto o tempo em seus antigos lares se esgota.

 

- Tuktuq, de Robin Aubert

Um cinegrafista é enviado até uma comunidade Inuit em Nunavuk, no norte do Canadá. Sua função será filmar os habitantes e seus costumes e, com esses registros, criar um arquivo de imagens para o governo. Enquanto grava, ele passa a conhecer profundamente a economia de subsistência desse povo e a incrível riqueza do território. Então, ele é informado de que seu trabalho será usado para convencer a comunidade a deixar o local em prol da exploração de minério.

.

Filmes que retratam a velhice

- Lucky, de John Carroll Lynch

A jornada espiritual de um ateu de 90 anos e os peculiares personagens que habitam uma cidade no deserto. Lucky fumou e viveu mais do que todos os seus contemporâneos e se encontra no precipício da vida. Ele é empurrado para uma jornada de autoexploração rumo ao que é frequentemente inalcançável: a iluminação.

 

- A Defesa do Dragão, de Natalia Santa

A história de três velhos amigos no centro de Bogotá. Um jogador de xadrez e apostador nas horas vagas, o dono de uma relojoaria que se recusa a fechar sua loja e um espanhol homeopata obcecado por pôquer. Eles passam seus dias entre o lendário clube de xadrez Lasker, o cassino The Caribbean e o café La Normanda. Quando o conforto de suas rotinas é colocado em risco, cada um deles verá que na vida, assim como no amor, nunca é tarde para ter uma chance.

 

- A Jornada Final, de Nick Baker-Monteys

Um ex-oficial nazista embarca em uma última viagem à Ucrânia com sua neta, em busca da única mulher que amou na vida —no momento em que uma nova guerra começa no antigo território soviético durante a primavera de 2014.

 

- Abaixo a Gravidade, de Edgard Navarro

Afeito a coisas simples aprendidas em muitos anos de vida solitária no campo, Bené revela-se suscetível às flechas erráticas de Cupido, tornando-se presa fácil de uma paixão temporã que o trará de volta à cidade grande.

 

- Antes do Fim, de Cristiano Burlan

Jean sente-se preso na lógica de longevidade que a indústria farmacêutica o impõe e decide planejar um suicídio consciente. Ele convida Helena para que o suicídio seja a dois. Ela, por sua vez, hesita, pois sabe que viverá bem, inclusive, se precisar ficar só, mas o ajuda em suas intenções. O silêncio entre eles não revela distância, mas intimidade. São anos de um afeto compartilhado. Juntos, prepararão todos os detalhes para o funeral. Jean dança a morte enquanto Helena segue ensaiando a vida. Nesse processo, os dois se dão conta de que antes do fim ainda há uma vida inteira.

 

- Mãe no Gelo, de Bohdan Slama

Hana, 67, continua vivendo sozinha na antiga casa da família desde que seu marido morreu, há alguns anos. Ela pode precisar de alguma ajuda, mas seus filhos são ocupados e egoístas demais para perceber isso. Um dia, Hana encontra um homem, Broňa, flutuando na beira do rio, incapaz de se mover. Ela mergulha e o ajuda a sair da água congelante. Os dois começam uma relação, mas quando ela o apresenta aos filhos, toda a família fica em choque. Hana terá que se reerguer e começar a mudar sua vida.

 

- O Último Traje, de Pablo Solarz

Abraham Bursztein é um costureiro judeu de 88 anos que vai de Buenos Aires até a Polônia com o objetivo de reencontrar um homem que o salvou da morte depois que ele conseguiu sobreviver a Auschwitz. Fugindo de sua família, que deseja colocá-lo em um asilo, e sem notícias deste homem há mais de 70 anos, Abraham vai tentar localizar seu velho amigo e cumprir a promessa que lhe fez no passado: contar sobre a vida que teve graças à sua coragem.

 

- Pela Janela, de Caroline Leone

Rosália é uma operária de 65 anos que dedicou a vida ao trabalho em um fábrica de reatores da periferia de São Paulo. Ela é demitida, e, deprimida, é consolada pelo irmão José, que resolve levá-la junto com ele de carro até Buenos Aires. Na viagem, Rosália vê pela primeira vez um mundo desconhecido e distante de sua vida cotidiana, começando uma jornada que sutilmente transformará uma parte essencial dela mesma.

 

- Sem Despedidas, de Christophe Agou

Claudette, de 75 anos, e seus vizinhos, pequenos agricultores de comunidades rurais em Forez, na França, acreditam que a sociedade consumista os ignora, ao mesmo tempo em que gradualmente se apropria do que resta de sua herança cultural e de seu conhecimento. Mas tanto ela quanto Jean-Clément, Christiane, Raymond, Matilda e todos os outros irão lutar diariamente e resistir.

 

- Sobrenatural, de Juan Figueroa

Um velho toureiro se prepara para enfrentar seu último touro. Alguns caminhos só podem ser percorridos sozinhos e em silêncio.

.

Filmes que levantam conflitos morais

- A Intrusa, de Leonardo di Costanzo

Giovanna, uma dedicada assistente social, administra um abrigo de acolhimento para crianças carentes em Nápoles —uma alternativa popular ao domínio da máfia da cidade. Quando Maria, a jovem mulher de um membro foragido da Camorra, refugia-se no local com os dois filhos, Giovanna se depara com uma escolha moral que pode destruir o sentido de seu trabalho.

 

- Sem Data, Sem Assinatura, de Vahid Jalilvand

O doutor Nariman, um patologista forense, provoca um acidente com um motociclista e sua família, o que acaba ferindo o filho deles de oito anos. Ele compensa financeiramente a família e se oferece para levar o garoto a um hospital próximo. No entanto, na manhã seguinte, descobre que o mesmo menino foi trazido para a autópsia. A partir daí, Nariman enfrenta um dilema: ele é o responsável pela morte da criança ou ela morreu envenenada conforme o diagnóstico de outros médicos?

- Vida Noturna, de Damjan Kozole

Um importante advogado é encontrado no meio de uma rodovia de Liubliana, capital da Eslovênia. Quase inconsciente, ele está deitado sobre uma poça de sangue e coberto por mordidas de cachorro. Os médicos do hospital lutam para mantê-lo vivo enquanto sua mulher, em choque, enfrenta seus maiores medos. No decorrer de uma noite, ela irá abandonar todos os princípios morais que sempre defendeu.

.

Ficções com personagens principais ex-presidiários

- Homem Livre, de Alvaro Furloni

Após anos na cadeia por um crime que chocou o país, um ex-ídolo do rock encontra abrigo em uma pequena igreja evangélica. Ele só quer ser esquecido, mas seu passado volta para assombrá-lo.

 

- Skokan, de Petr Václav

Skokan, um homem de 28 anos, acaba de sair da prisão. A ele são dadas as roupas que vestia quando foi preso. Do lado de fora, em frente ao muro do presídio, a rua está vazia. Ninguém o espera. E ele não tem para onde ir. Nenhuma casa, nenhum trabalho. Sua família não o quer por perto. Durante a noite, Skokan decide largar tudo para tentar a carreira de cantor.

 

- Sollers Point, de Matt Porterfield

Liberado do presídio, Keith cumprirá prisão domiciliar na casa do pai, em Baltimore. Enquanto ele tenta juntar as peças de sua antiga vida, fantasmas do passado, integrantes de gangues e seus próprios conflitos internos ameaçam sua estabilidade e se revelam difíceis de ignorar.

 

- Viver e outras ficções, de Jo Sol

Pepe deixou o hospital psiquiátrico onde esteve preso por ter roubado para trabalhar. A solidariedade de Antonio, um ativista deficiente, é a única coisa que o permite construir uma vida, ainda que frágil, na qual pode projetar suas poucas esperanças. Apesar disso, a necessidade de se ajustar ao mundo se torna uma tarefa árdua e a normalidade que almeja para o futuro, inacessível. A amizade com Antonio desafia sua percepção da vida e o convida a inventar uma nova loucura onde possa viver.

.

Ficções que abordam o universo esportivo

- Brasileiros, de Csaba M. Kiss e Gábor Rohonyi

O caos se instaura entre a minoria cigana da cidade de Acsa quando o prefeito anuncia que neste ano o time “Brasileiros” —composto por ciganos— poderá participar do campeonato local de futebol. Além disso, graças a um milionário que tem origens ali, a equipe campeã será convidada para viajar ao Rio de Janeiro. A competição começa e as coisas tomam direções inesperadas.

 

- El Inca, de Ignacio Castillo Cottin

Uma trágica história de amor baseada na vida de Edwin “El Inca” Valero, o maior boxeador latino-americano dos Andes venezuelanos.

 

- Sambá, de Israel Cárdenas e Laura Amelia Guzmán

Cisco volta à República Dominicana depois de cumprir pena nos Estados Unidos. Sua mãe alcóolatra tem a saúde delicada e a única maneira dele conseguir dinheiro é lutando nas ruas. Nichi, uma antiga promessa do boxe italiano, vive em exílio perto dali e vê em Cisco um lutador em potencial que pode ajudá-lo a pagar as dívidas do seu vício em jogo. Nichi decide treinar Cisco e, durante o processo, descobre que há espaço para a redenção de ambos.