Em premiação na noite deste domingo (24), o longa-metragem Arábia, dirigido por Affonso Uchoa e João Dumans, sagrou-se como o principal vencedor do 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. O filme recebeu, ainda, mais quatro prêmios, nas categorias Ator (Aristides de Sousa), Montagem e Trilha Sonora, pelo Júri Oficial, e Melhor Filme pelo Prêmio Abraccine, concedido pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema.

A categoria de Melhor Direção teve como vencedor o ceilandense Adirley Queirós pelo filme Era Uma Vez Brasília. A obra do Distrito Federal levou, também, os títulos de Melhor Fotografia e Melhor Som. Já o baiano Café com Canela levou três prêmios: Melhor Atriz (Valdinéia Soriano), Melhor Roteiro e Melhor Filme pelo Júri Popular (Prêmio Petrobras de Cinema).

Entre os curtas, o Melhor Filme pelo Júri Oficial foi Tentei, de Laís Melo. O filme levou, ainda, o prêmio de Melhor Atriz para Patrícia Saravy e Melhor Fotografia para Renata Corrêa. Os Irmãos Carvalho levaram o prêmio de Melhor Direção pelo filme Chico, vencedor, ainda, do prêmio de Melhor Som e do Prêmio Canal Brasil. Marcus Curvelo foi premiado como Melhor Ator por Mamata, filme que ganhou ainda a categoria Melhor Montagem.

Confira a seguir a lista completa dos filmes premiados na 50ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

 

PRÊMIOS OFICIAIS

 

Troféu Candango – Longa-metragem:

Melhor Filme: Arábia, dirigido por Affonso Uchoa e João Dumans

Melhor Direção: Adirley Queirós por Era uma vez Brasília

Melhor Ator: Aristides de Sousa por Arábia

Melhor Atriz: Valdinéia Soriano por Café com canela

Melhor Ator Coadjuvante: Alexandre Sena por Nó do Diabo

Melhor Atriz Coadjuvante: Jai Baptista por Vazante

Melhor Roteiro: Ary Rosa por Café com canela

Melhor Fotografia: Joana Pimenta por Era uma vez Brasília

Melhor Direção de Arte: Valdy Lopes JN por Vazante.

Melhor Trilha Sonora: Francisco Cesar e Cristopher Mack por Arábia

Melhor Som: Guile Martins, Daniel Turini e Fernando Henna por Era uma vez Brasília

Melhor Montagem: Luiz Pretti e Rodrigo Lima por Arábia

Prêmio Especial do Júri: Melhor Ator Social para Emelyn Fischer, por Música para quando as Luzes se apagam

Júri Popular ( Prêmio Petrobras de Cinema) longa-metragem: Café com canela, dirigido por Ary Rosa e Glenda Nicácio

 

PRÊMIOS OFICIAIS – Troféu Candango – Curta-metragem:

 

Melhor Filme: Tentei, dirigido por Laís Melo

Melhor Direção: Irmãos Carvalho por Chico

Melhor Ator: Marcus Curvelo por Mamata

Melhor Atriz: Patricia Saravy por Tentei

Melhor Roteiro: Ananda Radhika por Peripatético

Melhor Fotografia: Renata Corrêa por Tentei

Melhor Direção de Arte: Pedro Franz e Rafael Coutinho por Torre

Melhor Trilha Sonora: Marlon Trindade por Nada

Melhor Som: Gustavo Andrade por Chico

Melhor Montagem: Amanda Devulsky e Marcus Curvelo por Mamata

Prêmio​ ​especial: Peripatético, dirigido por Jéssica Queiroz

Júri Popular – Curta-metragem: Carneiro de ouro, dirigido por Dácia Ibiapina

 

OUTROS PRÊMIOS

 

Prêmio Canal Brasil: Chico, dirigido por Irmãos Carvalho

Prêmio Abraccine

Melhor filme de longa-metragem: Arábia, dirigido por Affonso Uchoa e João Dumans

Melhor filme de curta-metragem: Mamata, dirigido por Marcus Curvelo

Prêmio Saruê: Afronte, direção de Marcus Azevedo e Bruno Victor

Prêmio Marco Antônio Guimarães: Construindo pontes, dirigido por Heloísa Passos

Prêmio CiaRio/Naymar

Para o melhor curta pelo Júri Popular: Carneiro de ouro, dirigido por Dácia Ibiapina

 

MOSTRA BRASÍLIA – 22º Troféu Câmara Legislativa do Distrito Federal

 

Prêmios do Júri Oficial:

Melhor longa-metragem (R$ 100 mil):

O fantástico Patinho Feio, dirigido por Denilson Félix

Melhor curta-metragem (R$ 30 mil):

UrSortudo, dirigido por Januário Jr.

Tekoha – Som da Terra, dirigido por Rodrigo Arajeju e Valdelice Veron

Melhor direção (R$ 12 mil): Dácia Ibiapina, por Carneiro de ouro

Melhor ator (R$ 6 mil): Elder de Paula, por UrSortudo

Melhor atriz (R$ 6 mil): Rafaela Machado, por Menina de barro

Melhor roteiro (R$ 6 mil): Januário Jr., por UrSortudo

Melhor fotografia (R$ 6 mil): Gustavo Serrate, por A margem do universo

Melhor montagem (R$ 6 mil): Lucas Araque, por Afronte

Melhor direção de arte (R$ 6 mil): Bianca Novais, Flora Egécia e Pato Sardá, por O Menino Leão e a Menina Coruja

Melhor edição de som (R$ 6 mil): Maurício Fonteles, por Tekoha – Som da Terra

Melhor trilha sonora (R$ 6 mil): Ramiro Galas, por O vídeo de 6 faces

 

Prêmios do Júri Popular

Melhor longa-metragem (R$ 40 mil): Menina de barro, dirigido por Vinícius Machado

Melhor curta-metragem (R$ 10 mil): O Menino Leão e a Menina Coruja, dirigido por Renan Montenegro

 

Prêmio Petrobras de Cinema – Para o melhor longa-metragem pelo Júri Popular da Mostra Brasília:

Menina de barro, dirigido por Vinícius Machado

 

Prêmio Plug.in

Para o melhor longa-metragem escolhido pelo Júri Popular da Mostra Brasília:

Menina de barro, dirigido por Vinícius Machado

 

Prêmio ABCV – Associação Brasiliense de Cinema e Vídeo

Marco Curi, Manfredo Caldas e Gerlado Moraes

 

Prêmio CiaRIO

- Melhor longa-metragem escolhido pelo Júri Popular da Mostra Brasília:

Menina de barro, dirigido por Vinícius Machado

 

- Melhor curta-metragem escolhido pelo Júri Popular da Mostra Brasília:

O Menino Leão e a Menina Coruja, dirigido por Renan Montenegro

 

FESTUNIBRASÍLA – 1º FESTIVAL UNIVERSITÁRIO DE CINEMA DE BRASÍLIA

 

Melhor Filme: O arco do medo, dirigido por Juan Rodrigues (Universidade Federal do Recôncavo Baiano)

Melhor Direção: Fervendo, dirigido por Camila Gregório (Universidade Federal do Recôncavo Baiano)

Júri Popular: O Homem que não cabia em Brasília, dirigido por Gustavo Menezes (UnB)

Menção Honrosa – Método de construção criativa: Afronte, dirigido por Bruno Victor e Marcus Azevedo (UnB)

Menção honrosa – Fotografia: Gabriela Akashi, por Serenata (USP)

Menção Honrosa – Filme de animação: Mira, dirigido por Janaína da Veiga (Unespar)