No cinema, a subjetividade do espectador e os acontecimentos que ocorrem fora da tela podem mudar de inúmeras formas a recepção de um filme. O curta-metragem Em Trânsito, de Marcelo Pedroso, é prova disso.

Lançado em 2013, ele possui um discurso crítico ao modelo econômico adotado pelo ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos e pela presidente Dilma Rousseff. Uma foto em tamanho real de Campos, que morreu em um acidente aéreo no dia 13 de agosto de 2014, aparece no filme em uma estrutura de papelão. Em um ato simbólico, que pode representar o momento em que o protagonista passa a agir como seu líder político, ele corta o pescoço do “político de papelão” e utiliza o seu rosto como uma máscara.

O curta-metragem estreou em outubro do ano passado no festival Janela Internacional de Cinema do Recife, de onde saiu premiado e ovacionado pelo público. Em junho deste ano, o filme foi liberado na internet em apoio ao movimento Ocupe Estelita, que luta na capital pernambucana contra um grande projeto habitacional que seria implantado no local onde hoje está o Cais José Estelita. A ligação do filme com eventos e temas reais, como o movimento, ganhou um capítulo trágico com a queda do avião em que estava o então candidato à Presidência da República.

“Fiquei muito impactado pela notícia (da morte de Eduardo Campos), não só porque o ex-governador morreu, mas também porque o avião tinha alguns conhecidos. Trabalhei com o fotógrafo Alexandre Severo no Jornal do Commercio e conhecia o Marcelo Lyra do movimento Ocupe Estelita, então foi um momento de muito choque”, conta Marcelo Pedroso, em conversa com o Cine Festivais.

Após tomar conhecimento da tragédia, a primeira providência do diretor em relação ao filme foi a de retirá-lo das páginas públicas em que ele estava hospedado na internet. “Fiz isso em respeito ao ex-governador, à dor da família e ao luto, e também porque não queria que, como chegou a acontecer, algumas pessoas usassem o filme de forma desrespeitosa naquele momento”, explica.

Em Trânsito conta a história de um homem que, após ter o seu barraco destruído por uma empreiteira que está construindo um viaduto no local, busca emprego em uma indústria automobilística e acaba se adequando à lógica de desenvolvimento econômico responsável por aquela “desapropriação”. Além de aparecer em foto, Eduardo Campos tem a sua voz utilizada no início do filme, quando realiza uma ligação para o protagonista pedindo votos para o então candidato a prefeito Geraldo Julio.

“Eu tinha Eduardo Campos como um adversário político, por ter críticas ao seu modo de governar. Ao mesmo tempo, ele foi alguém que mobilizou o meu pensamento durante muito tempo por causa do filme, e eu de fato senti a morte dele. Não o conheci pessoalmente, mas senti a sua perda como se fosse de alguém próximo, porque passei mais de um ano pensando obcecadamente nele, acompanhando os passos dele, tendo dúvidas sobre se usava a imagem dele no filme ou não”, declara o diretor.

Ele chegou a pensar em retirar o filme da programação do 25º Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo (que ocorre entre os dias 20 e 31 de agosto), mas foi convencido pela organização a exibir o curta-metragem, desde que as sessões na capital paulista contextualizem a obra. Como Pedroso não virá ao evento, ainda está sendo combinada uma forma de apresentar essa mensagem ao público, algo que ocorrerá provavelmente através de um texto de autoria do cineasta que será lido antes de cada exibição.

“Acho que é uma incógnita (a reação que o público do festival terá ao curta). Nesse momento de comoção, é muito delicado o gesto que o filme faz com a degola e o fato de ele (Eduardo Campos) ter morrido. Algumas pessoas podem achar o filme de mau gosto, mal intencionado, mas também espero que outras entendam o filme como um gesto político alegórico, metafórico, e que percebam que ele (o curta-metragem) não desejava a morte de ninguém”, conclui Pedroso.

 

Em Trânsito está na Mostra Brasil 10. Clique aqui e veja a programação do filme no Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo.

 

>>> Confira a cobertura do Cine Festivais para o Festival de Curtas de São Paulo