Durantes os últimos anos, Marcelo Freixo talvez tenha sido a figura mais vibrante da esquerda brasileira. Atualmente deputado estadual do Rio de Janeiro pela terceira vez seguida, o deputado do PSOL protagonizou batalhas históricas em defesa dos direitos humanos, instalou a CPI das Milícias e a do Tráfico de Armas, foi candidato a prefeito do Rio de Janeiro – quando obteve a segunda colocação, mas não passou ao segundo turno – e sofreu diversas ameaças de morte, várias delas provocando exílios temporários na Europa. O curta-metragem Um Dia, de Angelo Defanti, acompanha o deputado durante um dia nublado, registrando sua agenda.

No cinema de observação, seguir personagens fortes como Freixo costuma ser tiro certeiro. Por suas particularidades – em especial a determinação e a aproximação real com a parcela mais pobre da população –, a figura do deputado tem luz própria. Ciente desta grandeza, a câmera de Defanti é discreta, mas fica próxima o bastante para acompanharmos o suor (literalmente) de um dia dinâmico.

Freixo aparece dirigindo seu carro, contando um pouco sobre seu cotidiano e subindo o morro da Rocinha – parte na garupa de uma moto, parte a pé – para visitar familiares de vítimas da violência. Entre elas, está a família de Amarildo Dias de Souza, ajudante de pedreiro cujo desaparecimento,  após ser detido por policiais, se tornou episódio paradigmático da opressão sistêmica e covarde que a polícia militar carioca pratica contra o negro, morador da periferia.

Por vezes Freixo parece cansado e o curta quer deixar claro que sua rotina é puxada. Está em construção um herói da vida real, sem benesses ou concessões. Certa hora recebe um telefonema que comunica o falecimento de um amigo próximo. Sente a perda. Mas o dia continua. Inevitável imaginar que o cotidiano de um autêntico outsider no atual sistema político brasileiro é mesmo marcado por perdas e derrotas, dores e afetos. De alguma maneira, ao fim de Um Dia mistura-se a admiração por Freixo com certo compadecimento; não é nada fácil ser quem ele é.

Nota: 7,5 / 10 (Bom)

 

Sessões de Um Dia no 26º Festival Internacional de Curtas-Metragens:

- 25/8 – Terça – 17h – Museu da Imagem e do Som (MIS)

 

>>> Acompanhe a cobertura do 26º Festival Internacional de Curtas de São Paulo