O mais recente ganhador da Palma de Ouro de Curta-Metragem em Cannes traz às telas um fragmento da vida de Leidi, uma garota com um filho recém-nascido para cuidar. Leidi vive com a mãe num barraco no alto dos morros de Medellín, no noroeste da Colombia, praticamente onde começa a Cordilheira dos Andes. Num dia ensolarado, resolve ir atrás de Alexis, seu namorado, suspeitando que o rapaz tem outra. É a breve andança de Leidi pelo ambiente em que vive que assumirá a missão de nos transportar para aquela realidade.

De registro naturalista, o retrato do diretor Simón Mesa Soto elege o ambiente como principal eixo na representação do drama social. As favelas de Medellín em muito se assemelham aos morros cariocas e aos assentamentos em Caracas (Venezuela). A estética do acúmulo vence a ocupação do morro, visto em grandes planos da imensidão de barracos, todos originados a partir de sobras de tábuas, papelão, latas e outras madeiras.

A ausência de maior infraestrutura e a provável escassez de serviços básicos denunciam a exclusão social que assombra o local, e é a partir desta ótica que iremos entender Leidi como um recurso alegórico. Ela é uma entre tantas outras garotas ali, com problemas semelhantes aos dela.

Simón parece muito confiante na decisão de deixar que a dimensão deste ambiente fale por si só e dê profundidade à personagem do título. Enxuga o enredo, economiza diálogos, a progressão narrativa é sutil e a performance dos atores é subordinada aos não ditos e pausas. O azedume no olhar da atriz Alejandra Montoya Villa leva à Leidi um sofrimento cru, menos melodramático e mais austero; sempre foi assim, sua vida é difícil há anos.

Tal desalento é mais perceptível quando Leidi fita o horizonte, no limiar entre a espera e a desistência. E talvez esteja aí o mais belo recurso poético do filme: a altitude de morro gera mirantes de beleza rara, que evidenciam os contornos do morro, exibem a infinidade do céu e permitem enxergar a cidade lá de cima, apequenando tudo o que está distante.  No debruçar de Leidi sobre um parapeito, que espaço terá sua perspectiva de futuro?

Nota: 8,5/10 (Ótimo)

 

Leidi está na seção Latinos 5. Clique aqui e veja a programação do filme no 25º Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo.

 

>>> Acompanhe a cobertura do Cine Festivais para o Festival de Curtas