O filme mineiro Baronesa, dirigido por Juliana Antunes, venceu o principal prêmio da 20ª Mostra de Cinema de Tiradentes, que teve a sua cerimônia de encerramento na noite deste sábado (29).

Exibido no primeiro dia das mostras competitivas, o trabalho que apresenta o cotidiano de Andreia e Leid, moradores do bairro Juliana, em Belo Horizonte, preteriu outros seis concorrentes da Mostra Aurora, seção dedicada a diretores com até três longas-metragens.

“É um filme que atravessou nossas vidas por muito tempo”, lembrou Juliana ao receber o Troféu Barroco, concedido pelo júri formado por Anita Leandro (professora/diretora – RJ) Heitor Augusto (crítico e professor – SP), Ivonete Pinto (crítica e professora – RS), Luiz Joaquim (crítico – PE) e Victor Guimarães (crítico – MG).

O filme mineiro ainda levou o Troféu Helena Ignez, que foi criado este ano para contemplar mulheres em funções de criação cinematográfica. A honraria foi destinada ao trabalho da diretora de fotografia Fernanda de Sena.

Entre os curtas-metragens, o vencedor pelo júri oficial e do Prêmio Aquisição Canal Brasil foi Vando Vulgo Vedita, trabalho do Ceará dirigido por Andreia Pires e Leonardo Mouramateus. Conheça a seguir todos os premiados do festival.

 

- Melhor Longa da Mostra Aurora pelo Júri da Crítica: Baronesa, de Juliana Antunes

- Melhor Curta da Mostra Foco pelo Júri da Crítica: Vando Vulgo Vedita, de Andreia Pires e Leonardo Mouramateus

- Prêmio Helena Ignez (concedido a mulheres em funções de criação cinematográfica): Fernanda de Sena, diretora de fotografia de Baronesa

- Melhor Longa pelo Júri Popular: Pitanga, de Camila Pitanga e Beto Brant

- Melhor Curta pelo Júri Popular: Procura-se Irenice, de Marco Escrivão e Thiago B. Mendonça

- Prêmio Carlos Reichenbach – Melhor Longa da Mostra Olhos Livres pelo Júri Jovem: Lamparina da Aurora, de Frederico Machado

- Prêmio Aquisição Canal Brasil: Vando Vulgo Vedita, de Andreia Pires e Leonardo Mouramateus

 

*O repórter viajou a convite da 20ª Mostra de Cinema de Tiradentes